Estaleiro Aliança fechará as portas no final de setembro

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói, Edson Rocha, afirmou ontem que setembro será o último mês de funcionamento do Estaleiro Aliança, no Barreto. Com isso cerca de 400 funcionários devem ser demitidos. Segundo Edson há pouca demanda de trabalho para manter o estaleiro em funcionamento. O Aliança já chegou a ter 1.500 funcionários. Nesta terça-feira, cerca de 12 representantes do sindicato participaram de uma grande manifestação com diversas centrais sindicais, entre elas, o Sindicato dos Metalúrgicos e dos Bancários de Niterói. Eles protestam contra demissões em massa e contra o calote de empresas da indústria naval.
No próximo dia 25 haverá uma manifestação em Niterói, partindo da sede do sindicato no Centro com destino ao Estaleiro Mauá, na Ponta D’Areia. Estima-se que mais de 12 mil demitidos participarão do ato. Segundo Edson, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deverá participar da manifestação também.
“Nós de Niterói fomos falar contra as decisões da Laja Jato que estão deixando muita gente desempregada. Isso está atingido setores bancários, construção civil e metalúrgicos. O Brasil está parando. Atualmente temos mais de 12 mil trabalhadores sem emprego. Queremos emprego. A princípio íamos sair em caminhada do Sindicato até lá, mas vamos fechar o percurso ainda”, disse.
Segundo dados do sindicato, dos 18,5 mil trabalhadores empregados nos estaleiros de Niterói em 2012 restam apenas 3,1 mil em sete empresas que ainda resistem. O número de postos fechados passa de 80% em apenas quatro anos.
A direção do estaleiro foi procurada pela reportagem, mas não respondeu até o fechamento desta edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =