Estado retira radares em parte da RJ-106

Raquel Morais –

Quem está acostumado a passar pela RJ-106, uma das vias que liga Niterói, São Gonçalo e Maricá, vai perceber a ausência de alguns radares bandeiras. Os equipamentos de monitoramento de velocidade foram retirados, e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) afirma que a medida se deu pelo encerramento do contrato com a empresa. Outra justificativa do órgão foi que os radares estavam em estado ruim de conservação e foram retirados por risco de queda. Motoristas e moradores de São Gonçalo e Maricá não gostaram da novidade, que não tem prazo para nova instalação.

Um boato de que a empresa não teria recebido pela manutenção dos equipamentos se espalhou entre os bairros, mas o DER-RJ descartou a notícia. No cruzamento da RJ-106 com a RJ-114, no Flamengo e Serra do Cala Boca, em Inoã e perto do Corpo de Bombeiros na altura da Estrada do Caxito, os equipamentos foram retirados. O DER-RJ foi questionado sobre a quantidade de radares recolhidos, mas o departamento não se manifestou sobre esse assunto até o fechamento dessa edição. No site do órgão existem 17 radares em toda a extensão da RJ-106.
O taxista Otacílio Lima, de 65 anos, morador do Rio do Ouro, não gostou da mudança. “Os radares são fundamentais nessa estrada, que as pessoas já trafegam em alta velocidade. Agora sem essa coibição os acidentes tendem a serem mais frequentes”, comentou.

O eletricista Victor Violante, de 38 anos, concordou com o taxista. “O risco de atropelamento também vai aumentar pois muitas pessoas atravessam fora da passarela. O radar servia como um redutor de velocidade”, pontuou.

A jornalista Alba Valéria Almeida, de 45 anos, disse que circula nessas estradas todos os dias e a falta desses equipamentos pode prejudicar todo mundo. “É mais uma situação para a gente se preocupar em relação a rodovia. Estamos correndo risco em uma estrada sem iluminação, cheia de buracos e agora sem os radares”, frisou.

O DER-RJ informou em nota que está elaborando uma nova licitação para a recolocação dos radares bandeiras que foram retirados das estradas estaduais. No momento, não há como precisar um prazo para a reinstalação devido ao trâmite licitatório. O órgão ressalta que os demais equipamentos estão em pleno funcionamento, inclusive os chamados estáticos/portáteis, que são utilizados nas fiscalizações pelo Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv). Ainda de acordo com o informe a retirada aconteceu porque o contrato com a empresa responsável pela manutenção acabou e os equipamentos do trecho de Inoã estavam sem conservação, com risco de queda.

A Prefeitura de Maricá informou que iniciou uma operação para diminuir a velocidade dos veículos e evitar maiores transtornos, no cruzamento da RJ-106 com a RJ-114, que dá acesso a Itaboraí. O trânsito foi colocado em meia pista e com viatura e policiais do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). Desde às 16h de ontem, o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV) começou a operação Finados, que vai patrulhar as rodovias estaduais durante o feriado prolongado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 2 =