Estado registra 64 PMs assassinados em 8 meses

Morto no dia de folga durante uma tentativa de assalto na Baixada Fluminense, o soldado Paulo Vítor Barbosa Lopes, de 37 anos, entrou para as estatísticas como o 64º policial militar morto no estado do Rio de Janeiro. Lopes estava dirigindo quando foi abordado por criminosos que pretendiam assaltá-lo. Segundo a Polícia Militar, ele reagiu e houve confronto. O carro que o policial conduzia que chegou a ser roubado pelos bandidos, mas foi recuperado no Jardim Palmares, em Nova Iguaçu. O Disque Denúncia divulgou cartaz, oferecendo recompensa de R$ 5 mil por informações que levem a prisão dos assassinos.

Dos 64 policiais militares assassinados de janeiro até quarta-feira no Rio, 17 foram mortos em serviço; 39 quando estavam de folga; e oito eram reformados. No ano passado, 134 policiais militares foram vítimas de homicídio.

No caso da tentativa de assalto desta quarta-feira, o soldado chegou a ser levado em estado grave para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu. Lopes estava lotado no 21º Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, em São João de Meriti, outro município da Baixada.

O corpo de outro militar assassinado será enterrado nesta tarde no Rio: o soldado do Exército Marcus Vinicius Viana Ribeiro foi baleado há três dias durante uma megaoperação contra o crime organizado em comunidades da zona norte do Rio.

Marcos Vinicius foi o terceiro militar das Forças Armadas morto no Rio desde fevereiro, quando teve início a intervenção federal na segurança pública do estado. Na terça-feira, o cabo Fabiano de Oliveira Santos e o soldado João Viktor Silva foram enterrados no Cemitério de Engenheiro Pedreira, em Japeri, na Baixada Fluminense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + dezoito =