Estado quer testar tarifa social em Charitas

O secretário de Estado de Transportes, Rodrigo Vieira, informou que a implementação da tarifa social na linha de barcas Praça XV-Charitas só será economicamente viável caso o trajeto tenha 40 mil novos passageiros por dia. A tarifa social do sistema de barcas do estado é de R$ 5,90, já a seletiva custa R$ 16,50. Atualmente, a linha transporta somente oito mil pessoas ao dia. As informações foram repassadas durante audiência pública da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta terça-feira (31).

A linha Praça XV-Charitas liga a cidade do Rio à Niterói. Rodrigo Vieira também afirmou que para aplicar a tarifa social no trajeto, a outra ligação aquaviária dos dois municípios, através da linha Praça XV-Araribóia, não poderia perder usuários. O secretário disse que já fez uma proposta à Prefeitura de Niterói para fazer um teste nas operações do sistema. “Para termos certeza que a estação de Charitas receba os novos 40 mil passageiros, podemos criar um horário de tarifa social na linha. Caso o resultado seja positivo, já podemos implementar o novo preço. No entanto, se der prejuízo, a Prefeitura de Niterói arcaria com os custos”.

O secretário lembrou ainda que um novo edital de licitação para a concessão das barcas no estado está sendo realizado. A CCR Barcas, atual concessionária que administra o sistema, está com dívidas e não quer mais operar os serviços. “Infelizmente o número de passageiros reduziu e está dando prejuízos à empresa. É fundamental criarmos um edital que demonstre um sistema equilibrado para conseguirmos fazer com que a iniciativa privada invista no modal. Posso garantir que a linha Praça XV-Charitas precisa de investimentos em infraestrutura para operar com tarifas mais baixas, o que pode afastar os empresários”, explicou Rodrigo Vieira.

A niteroiense Luana Dias, de 31 anos, mora em Piratininga, na Região Oceânica, e trabalha duas vezes por semana no Centro do Rio. Ela relatou que o marido a deixa na estação de Charitas, onde pega a barca para ir e voltar. Para trajeto ela desembolsa R$ 33 por dia, ou R$ 264 por mês. Caso optasse por pegar o catamarã no Centro de Niterói, Luana gastaria com passagens de dois ônibus e duas barcas. O total diário seria R$ 19,60 ou R$ 156,80 por mês, uma economia de 68,36% ou R$ 107,20.

Para quem utiliza a linha seletiva de segunda a sexta-feira, o custo com as passagens chega aos R$ 660. Já quem opta pela travessia da estação Arariboia, nas mesmas condições, gasta R$ 236 ou 179,66% a menos.

O presidente da Comissão, deputado Marcelo Simão (PMDB), acredita que o número de usuários possa aumentar na linha Praça XV-Charitas. Ele destacou que a criação de um túnel entre Charitas e a Região Oceânica de Niterói facilitou o deslocamento dos moradores. “A Prefeitura de Niterói também vai criar um corredor exclusivo de ônibus, chamado Transoceânica. Essas melhorias no transporte do Leste Metropolitano podem fazer com que os moradores da Região Oceânica de Niterói e de Maricá utilizem as barcas. Sou favorável ao teste na Linha Praça XV-Charitas anunciado pelo secretário”, afirmou o parlamentar.

A CCR Barcas foi questionada sobre o assunto e informou apenas que atualmente há uma queda de 1,8% no número de passageiros transportados na linha Charitas, em relação ao mesmo período do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 2 =