Estado descumpre acordo e Caio Martins deixa de receber grandes eventos

Pedro Conforte –

O Complexo Esportivo do Caio Martins, em Icaraí, na Zona Sul de Niterói, não está mais autorizado a realizar eventos de grande porte, é o que afirma o Corpo de Bombeiros. Segundo a Corporação, a Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude. Responsável pelo estádio, não cumpriu as medidas do projeto de segurança e não executou medidas contra incêndio e pânico.

A administração do Complexo vinha firmando contratos com eventos e shows, baseados em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o Governo do Estado e os Bombeiros, mas que, segundo o Ministério Público, não foi cumprido. Por conta disso, espetáculos que atrairiam milhares de pessoas e já estavam com ingressos vendidos foram cancelados de última hora, deixando muita gente na mão.

O produtor cultural Diego Reishoffer era responsável por dois shows que aconteceriam no último fim de semana e contou que foi avisado na quinta-feira que o evento não poderia acontecer.

“Há meses já estávamos com o contrato firmado, seriam mais de oito mil pessoas nos espetáculos do Paulinho Gogó (sábado) e do Lucas Neto (domingo). Não fomos informados que haviam essas pendências junto ao Corpo de Bombeiros. Fora o prejuízo que vamos ter, o prejuízo para o público é muito maior. Tem gente que estava vindo de outras cidades para um dos shows. Foi muita covardia o que fizeram”, desabafou.

De acordo com o MP, a Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Cidadania de Niterói já investiga as condições do complexo e um dos pontos é a questão da ausência da autorização do Corpo de Bombeiros. O não cumprimento do acordo “provocou o alerta do MPRJ ao CBMERJ e também ao administrador do Caio Martins, de que os eventos então não poderiam ocorrer, até que regularizada a situação, tendo então havido o cancelamento do evento”, esclareceu em nota o Ministério Público.

O TAC foi instituído em junho de 2018, com o objetivo de incentivar o cumprimento da legislação vigente e, consequentemente, a regularização das edificações. Enquanto a administração se adequava e cumpria os prazos estipulados, os eventos poderiam ser realizados.

Em relação ao cancelamento, a administração do Complexo Esportivo afirmou que o cancelamento foi visando a segurança de todos e atendendo a adequação TAC, mas não esclareceu porque a decisão foi tomada um dia antes do evento. Informou que melhorias e regularizações estão sendo realizadas para que em breve possa retornar a sediar shows e eventos, sem precisar quando irá cumprir as medidas. No entanto, garantiu a continuidade das atividades esportivas que acontecem no local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 16 =