Estado conta com mais dois laboratórios para diagnóstico do coronavírus

Os municípios da Região Metropolitana II vão ter mais dois laboratórios para análise e diagnóstico do coronavírus. O Governo do Estado confirmou que os laboratórios da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estão realizando os testes. Antes da medida, autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os exames eram realizados no Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ).

De acordo com nota da Anvisa o objetivo da medida é ampliar a capacidade laboratorial pública nacional para o diagnóstico da doença, diante da atual emergência em saúde pública provocada pela covid-19. Os laboratórios da Embrapa e da Fiocruz reúnem alta capacidade analítica e proficiência em diversos métodos e diagnósticos.

“Contribui favoravelmente para a ampliação da capacidade analítica de diagnóstico da covid-19”, explicou o diretor-presidente substituto e relator da proposta, Antonio Barra Torres.

A medida estará em funcionamento enquanto estiver em caráter de urgência por conta da pandemia do coronavírus. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União na edição de ontem e contou com aprovação do Ministério da Saúde.

“No meu entender todo diagnóstico feito é baseado em um tripé: anamnese, exame físico e exame complementar. O exame laboratorial que cabe dentro do exame complementar tem sentido dentro de uma investigação médica, e necessário muitas vezes para se fechar diagnósticos. Ofertando mais laboratórios facilita a investigação médica e diagnósticos para esse momento de pandemia que estamos vivendo. É sempre bom o aumento da oferta dos exames”, explicou a médica do SUS Ana Sodré.

Outra medida do Governo do Estado para montar um panorama sobre a doença, com número e localização dos casos suspeitos e confirmados além dos óbitos, é a montagem de um questionário digital pela “Comissão de Notáveis”, com pesquisadores e especialistas da Fiocruz e de universidades federais. De acordo com o Governo do Estado o preenchimento do formulário é voluntário e a participação popular é de fundamental importância para a atuação de cientistas e profissionais de saúde, além de contribuir para que o Governo do Estado possa agir antevendo situações com números atualizados e precisos. “Com os dados obtidos, será possível formar um banco de dados vivo que, em tempo real, vai gerar resultados estatísticos capazes de oferecer um melhor direcionamento das condutas públicas em prol da população”, finalizou o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =