Estado confirma 1º caso do coronavírus em Niterói

Conforme A TRIBUNA havia adiantado, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou agora a tarde que Niterói é a primeira cidade do Leste Fluminense a ter um caso de coronavírus. Segundo a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Niterói o homem, um paciente, de 27 anos, é morador da cidade, esteve no exterior, foi atendido em um hospital particular e no momento está em isolamento domiciliar e passa bem. A FMS está acompanhando o caso.

Um homem teria sido infectado pelo vírus após voltar, recentemente, de uma viagem da Espanha. Ele teve atendimento prévio em uma unidade de saúde particular e está em isolamento domiciliar. Ess é o quarto caso no estado, sendo um Barra Mansa e dois na capital.

Depois da cidade do Rio, com 58 casos suspeitos e seis confirmado, Niterói aparece no boletim como a cidades que tem mais casos com 18 suspeitos e agora um confirmado.

A SES informou, que até o momento são 123 casos suspeitos e oito casos confirmados do Covid-19 que estão sendo monitorados no Rio. “Reforço que, até o momento, continuamos sem transmissão ativa do vírus no Rio de Janeiro. Os casos confirmados até agora são importados do exterior. Permanecemos no Nível Zero do nosso plano de contingência. Alerto a população para os cuidados para prevenir o contágio, como higienizar as mãos com frequência e evitar levá-las ao rosto”, explicou Edmar Santos, secretário da pasta.

Além de uma paciente em Barra Mansa e duas no Rio de Janeiro que já haviam sido divulgadas pela secretaria, a SES confirmou nesta segunda-feira (09/03) cinco novos casos do Covid-19. Com isso, o número passou de três casos confirmados para oito no estado. Os novos pacientes são três homens (de 27, 42 e 70 anos) e duas mulheres (de 56 e 61 anos) que residem em Niterói (1) e Rio de Janeiro (4). Todos estão em isolamento domiciliar e apresentam estado de saúde estável.

Os pacientes retornaram de viagens à Europa, entre os dias 3 e 5 de março, com passagem por países como Itália, Portugal, Espanha, Suíça, Holanda, Israel, Egito e Grécia, apresentando febre, tosse e mialgia, entre outros sintomas. Quatro deles recorreram à rede de saúde particular e um recebeu atendimento médico domiciliar.

O secretário esclarece ainda que técnicos da SES analisam o comportamento do vírus no Hemisfério Sul, como grau de transmissibilidade e letalidade.

Desde janeiro a SES vem se preparando para a chegada do vírus. No dia 27 daquele mês, a secretaria emitiu nota técnica sobre o Novo Coronavírus e, dias depois, apresentou um plano de contingência que define as ações a respeito da doença, alinhado com protocolos do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Plano de contingência
No mês passado, a SES elaborou e definiu um plano de contingência para enfrentar uma possível epidemia de coronavírus no Estado do Rio.

O plano tem a intenção de sistematizar ações e procedimentos de responsabilidade da esfera estadual de governo. Os demais níveis de acionamento (um, dois e três) são organizados de acordo com parâmetros epidemiológicos, como números de casos.

O primeiro objetivo estratégico do plano de contingência é intensificar medidas de segurança para conter a transmissão humano a humano, incluindo as infecções secundárias entre pessoas próximas e profissionais de saúde.

Caso uma pessoa apresente sintomas e sinais de doenças respiratórias, ela será identificada imediatamente, isolada e atendida da forma como preconizam a OMS e o Ministério da Saúde.

Casos notificados X casos suspeitos
Notificados – Ainda não é considerado como caso suspeito, já que depende de avaliação de critérios definidos pelas autoridades sanitárias.

Suspeitos – Caso atende aos critérios das autoridades e será confirmado ou descartado com base em análise laboratorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 2 =