Estacionamento rotativo vai organizar fluidez de veículos em São Gonçalo


O projeto de um Estacionamento Rotativo Remunerado foi apresentado na Câmara Municipal com o objetivo de organizar o serviço de estacionamento nas principais ruas e avenidas do perímetro urbano de São Gonçalo e permitir melhor o trânsito de veículos nessas localidades. Aumentar o aumento de vagas para estacionamento vai melhorar também a acessibilidade das pessoas aos comércios locais, fortalecendo, assim, a estrutura econômica do município. A mensagem aprovada em plenário com 20 votos a favor e 3 abstenções.

Com isso, a prefeitura fica autorizada a cobrar pelo estacionamento nas vias públicas em que o sistema rotativo estiver prevalecendo. Nesses locais haverá placas informativas para que as vagas disponíveis sejam identificadas com facilidade pelos usuários.

O serviço de estacionamento rotativo, que ainda terá valor definido pelo Órgão Executivo de Trânsito, funcionará de segunda-feira a sábado, das 7h às 20h, exceto aos domingos e feriados. Em períodos e horários diferentes, a possibilidade de uso será avaliada pelas autoridades que controlam o sistema de trânsito na cidade, observando-se a peculiaridade de cada via.

“Na Avenida Kennedy, por exemplo, ao longo do trecho entre o Clube Tamoio e o Clube Mauá, existe um espaço junto à antiga linha do trem, que os motoristas que precisam estacionar para ir ao comércio naquela localidade, são abordados por flanelinhas clandestinos, que cobram, ilegalmente, um valor para permitir que eles parem o carro ali. Essa cobrança ilegal ocorre todos os dias, há muito tempo, todo mundo vê e ninguém faz nada para coibi-la. Mas por outro lado, se esse mesmo motorista se recusar pagar esse flanelinha, e estacionar seu automóvel numa via próxima, ele é multado. Mesmo que a rua onde ele parou seu carro não atrapalhe, em nada, a fluidez do trânsito, ele será multado pela Guarda Municipal e seu carro será rebocado e removido para depósito público. Enfim, qual o critério usado para punir um motorista infrator e condescender com a cobrança ilegal feita por flanelinhas clandestinos que usam o logradouro público para enriquecer explorando criminosamente a população?”, disse o vereador Jorge Mariola (PODEMOS).

Ao fazer uso da palavra, o vereador Professor Josemar (PSOL), um dos três parlamentares que se abstiveram da votação, reconheceu a necessidade de um ordenamento técnico para o estacionamento de veículos nas vias públicas do município.

“A mensagem tem um caráter técnico bastante avançado, gera alguma possibilidade de emprego, mas também gera desdobramentos que exigem um debate mais amplo e profundo. É uma prerrogativa do Poder Executivo encaminhar a mensagem, é uma prerrogativa do Poder Legislativo colocá-la em votação, mas esta casa legislativa antes de colocá-la na pauta de votação, deveria convidar a sociedade para debatê-la. E isso, mais uma vez, não aconteceu”, verbalizou na tribuna, o Professor Josemar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 3 =