Estação da Transoceânica em Charitas é depredada

As 11 novas estações do BHLS do corredor da Transoceânica nem sequer foram concluídas e ações de vandalismo depredaram a parada Charitas, uma das duas estações que estavam finalizadas. As oito portas automáticas estão abertas, os circuitos automáticos das portas foram quebrados para retirada de peças, o banheiro foi destruído e até as roletas não escaparam do vandalismo.

As engrenagens da abertura automática das portas estão expostas, os circuitos e fiação foram depredados, uma roleta está quebrada, o banheiro está sem vaso sanitário e com teto destruído, a porta de um quartinho foi arrombada e um ar-condicionado está no chão junto com cinco extintores. Segundo informações de passageiros de ônibus, que pegam os coletivos em frente ao local, o espaço sempre ficou fechado, mas foi arrombado na última semana. A estação de embarque do corredor viário está servindo de passagem para os pedestres e também como moradia de desabrigados.
A Prefeitura de Niterói foi questionada sobre o assunto, mas até o fechamento dessa edição não se manifestou.

As estações seguirão os modelos das estações do VLT implantadas no Rio de Janeiro, mas com o piso na altura do passeio público. Todas terão bicicletário (com 10 vagas), câmeras de segurança, sistema de sonorização, que permitirá a comunicação do centro de controle com os passageiros, além de painéis que irão informar o tempo de chegada de cada ônibus na estação, e de uma grande tela na qual os usuários poderão acompanhar a localização dos coletivos no mapa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × três =