Escuta indica participação de servidores em suposto esquema de propina

Wellington Serrano

Trechos de escutas telefônicas divulgadas nesta terça-feira pela vereadora Gladys Costa (PRB) na Câmara de Vereadores de Búzios indicam o envolvimento de servidores públicos em um suposto esquema de extorsão liderado pelo chefe da fiscalização de Posturas do município, identificado como Lessinho. Segundo informações, ele, que seria do quadro de cargos de confiança do prefeito André Granado (PMDB), conversa com um empresário combinando o recebimento de R$ 4 mil para autorizar o funcionamento de um trailer, no Centro. A conclusão é dos vereadores que apresentaram denúncia ao Ministério Público e também registraram o fato na 126ª DP (Búzios).

O vídeo sobre a gravação foi divulgado para a população presente na Câmara. Pelas imagens, a ação parece ter acontecido no período de verão. Ao receber a negativa do pagamento, por causa das dificuldades financeiras em que se encontrava o empresário, o servidor anuncia que o mesmo teria que retirar os trêileres. A gravação totaliza 15 minutos e o empresário aparece sendo coagido a pagar o valor cobrado pelo servidor.

O material foi entregue à imprensa, aos promotores de justiça do MP buziano e delegados da Polícia Civil. Em uma das gravações entregues à equipe de reportagem de A Tribuna, o servidor municipal deixa clara a intenção de extorquir o empresário, que não foi identificado.

Em outra conversa, o empresário explica para o chefe da fiscalização de Posturas, identificado na gravação como Lessinho, que não teria a propina. “…Deixa eu te falar uma coisa, pensei que esse valor fosse pelos dois… Queria ver contigo, no caso, se poderia te adiantar alguma coisa. […] posso te prometer que vou ter o dinheiro todo… Ficou muito puxado cara”, explicou.

Depois que o empresário assume que não terá como pagar a propina Lessinho afirma que o trailer terá que ser retirado das ruas. “Vê o que tu pode fazer… pra não ser retirado de lá, porque senão ela vai indeferir o seu pedido e vai ter que tirar da rua… aí vai complicar para você”, disse o servidor municipal.

O presidente da Câmara, vereador João Carlos, cobrou uma atitude do governo municipal. “Isso é uma vergonha. Conheço o empresário, é um chefe de família, trabalhador, que foi extorquido por um servidor. Mostra como está a administração municipal, um mar de lama. Mais uma prova para que a população veja o que está acontecendo”, lamentou o parlamentar.

Procurada, a Prefeitura de Búzios não se pronunciou até o fechamento da edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + três =