Escritora de Maricá é tema de homenagem em música e curta-metragem

Conceição Evaristo inspirou o cantor Wanderson Lemos a compor “Conceição Evaristo – a insubmissa herança da escrevivência”

Ilustre moradora de Maricá, a escritora Conceição Evaristo já recebeu todo o tipo de homenagem. E o cantor e compositor Wanderson Lemos resolveu fazer mais uma para quem muito lutou em favor da educação, principalmente a pública. O artista lançou, no domingo (5), o curta “Conceição Evaristo – a insubmissa herança da escrevivência”, que marca a estreia dele também como diretor.

A obra audiovisual também conta com uma música homônima. Tanto canção quanto filme são inspirados no legado da escritora e professora, com um recorte sobre sua vida e obra com referências cinematográficas, uma outra paixão do artista além da música. O curta foi gravado na região dos lagos do Rio de Janeiro.

O próprio Lemos participa do curta junto com o elenco Jaqueline Calazans, Victor Meirelles e a estreante mirim, Laynara Teixeira, de apenas 9 anos, sendo que todos os atores que atuam no curta são negros. O lançamento faz parte do projeto América Negra que nasceu para dar mais visibilidade para nomes importantes da nossa história e colaborar na valorização e ressignificação do papel de negros na nossa sociedade. América Negra é o projeto de vídeo-álbum que vem sendo lançado aos poucos, cada música com sua produção audiovisual.

“Realizar este trabalho é um sonho. Poder falar sobre essas pessoas é muito importante para mim e também como contribuição para que crianças e jovens não cresçam sem referências como foi comigo e toda a minha geração”, explica Wanderson Lemos.

O lançamento faz parte do projeto América Negra que nasceu para dar mais visibilidade para nomes importantes da história e colaborar na valorização e ressignificação do papel de negros na sociedade brasileira. América Negra é o projeto de vídeo-álbum que vem sendo lançado aos poucos, cada música com sua respectiva produção audiovisual.

Esse é o quarto clipe do projeto América Negra. O primeiro clipe, América Negra, deu nome ao projeto. O segundo foi em homenagem a Luiz Gama, gravado em Paris/França. Já o terceiro inspirado na vida de Carolina Maria de Jesus, com roteiro de Luiza Soares, foi selecionado em 3 mostras internacionais.

Nascida Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, Conceição reside no estado do Rio de Janeiro desde 1973 e é mãe de uma filha, Ainá. Aos 74 anos de idade, ela foi ganhadora do Prêmio Jabuti em 2015 pelo livro “Olhos D’água”, ela reside em Maricá há nove anos.

O clipe pode ser visto no vídeo abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =