Escolha do sapato pode comprometer a dirigibilidade

Raquel Morais –

Quando o assunto é reduzir o número de mortes no trânsito, iniciativa do projeto Maio Amarelo, muitas ações são envolvidas, desde respeitar velocidade, não dirigir sob efeito do álcool, manter a manutenção veicular em dia e até mesmo usar o sapato adequado. Sim, o sapato pode ser uma ferramenta perigosa na direção, já que diminui a firmeza dos pés nos pedais de acelerador, freio e embreagem. O Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) reforçou a importância de usar o sapato adequado na hora de dirigir um carro ou uma motocicleta.

Segundo o Detran, dirigir o veículo usando calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais é uma infração média, o condutor perde quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a multa é de R$ 85,13, de acordo com o Artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). “Eu confesso que dirijo com salto alto. Não consigo andar sem salto e já tenho há mais de cinco anos a minha carteira de habilitação. Nunca fui parada em ‘blitz’ por isso. Acho que dirigir com salto alto é perigoso para quem não conhece o próprio carro ou não sabe usar os pedais certinho”, comentou uma niteroiense que não quis se identificar.

Segundo o Observatório Nacional, o sapato ideal deve ser firme nos pés e, no caso dos saltos, “é melhor evitá-los, já que não são adequados do ponto de vista ergonômico, uma vez que não oferecem boa adaptação para pisar nos pedais e podem também atrapalhar a realização de manobra que exija rapidez”. Ainda segundo a nota sandálias de dedo não são aconselhadas por apresentarem riscos consideráveis de escapar ou de prender no piso do carro e as sapatilhas devem se ajustar perfeitamente ao pé.

O ONSV apontou que estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU) alertam que, até 2020, mais de 2 milhões de pessoas perderão suas vidas no trânsito anualmente. Ainda segundo texto o Brasil é o quarto país com maior índice de acidentes de trânsito. A cada minuto, pelo menos uma pessoa fica inválida e a cada 12 minutos uma pessoa morre por acidentes de trânsito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *