Escolas de Niterói podem receber o selo ‘Minha Cor Tem Valor’

Foi lançado nesta quarta-feira (25), o edital do Programa de Fomento ao Ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena, que tem o intuito de promover e incentivar práticas anti racistas no cotidiano das escolas de Niterói, sejam elas públicas ou privadas.  As unidades escolares têm até  o dia 30 de julho para fazer a inscrição no programa.

O projeto está sendo desenvolvido através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMDH), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação. Todas as escolas participantes vão receber o selo “Minha Cor Tem Valor”. Além disso, terá a premiação com certificação do prêmio “Azoilda Loretto da Trindade: Um Baobá de Cultura” para as dez redes de ensino que tiverem as melhores avaliações. 

As inscrições para participar da premiação estão disponíveis até o dia 30 de julho, às 23h59min, podem ser feitas clicando aqui. O resultado será anunciado em novembro.

Segundo a subsecretária de Promoção da Igualdade Racial, Glória Ancelmo, a expectativa é que o edital atenda e reconheça o trabalho desenvolvido por escolas públicas municipais e privadas do município.

“Estamos muito felizes com a demanda histórica da população negra de Niterói. Criamos o primeiro Programa de Valorização do Ensino de Cultura Afro-Indígena da Educação Municipal de Niterói. Esta é uma reivindicação que surgiu nas propostas da 4ª Conferência Municipal de Igualdade Racial e se materializa na fraterna parceria entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e a Secretaria Municipal de Educação. Esperamos muitas inscrições de instituições públicas municipais e também das instituições privadas para um encontro potente e qualificado dessa iniciativa tão urgente e necessária para Niterói”, destacou.

O edital tem como um dos objetivos reconhecer e valorizar práticas comprometidas com a implementação das Leis Federais 10.639/03 e 11.645/08. Para obter as melhores avaliações, as escolas participantes deverão obedecer a critérios previstos no Edital, que asseguram a transversalidade da temática da “História e Cultura Afro-Brasileira”, no Projeto Político-Pedagógico, nos anos que antecederam o período de pandemia, e através de projetos e atividades relacionadas à promoção de práticas antirracistas que continuam sendo desenvolvidas.

O secretário de Educação de Niterói, Lincoln Araujo, enfatizou o papel da rede municipal de educação da cidade no fomento da cultura antirracista.

“A Rede Municipal de Educação destaca como uma de suas prioridades o fortalecimento das práticas de educação antirracista. O lançamento do edital é muito importante para realizar atividades pedagógicas que promovam a consolidação das leis que visam fomentar a cultura afro-brasileira e indígena, bem como dirimir as práticas racistas”, enfatizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.