Escolas de Niterói estão apreensivas com a falta do repasse da Prefeitura

Raquel Morais –

Os diretores da União das Escolas de Samba e Blocos de Niterói (UESBN) e da Liga das Escolas de Samba de Niterói (Lesnit) mostraram preocupação com o Carnaval da cidade. A subvenção oferecida pela Prefeitura ainda não foi liberada e o período de inscrição para os blocos e bandas carnavalescas ainda está aberto, até o dia 5 de fevereiro. Justamente a data é o que preocupa os presidentes de algumas agremiações, já que o Carnaval será comemorado nos dias 4 e 5 de março, o que será uma corrida contra o tempo.

Enquanto a subvenção não é liberada, o trabalho no barracão das escolas de Niterói, no Centro, está parado. O galpão que as agremiações usam para a confecção dos carros alegóricos estava fechado nas primeiras horas da manhã de ontem. Pouco tempo depois um vigia abriu o portão de ferro e nem de longe o barracão traduzia a felicidade do Carnaval. As alegorias dos anos anteriores estão jogadas no local desde então, as cores e brilhos estão opacos e o silêncio toma conta do espaço.

“O ideal seria ter essa verba logo depois do Carnaval, em junho, por exemplo. Pretendo procurar a Neltur para saber como está esse processo e vou torcer para que nessa semana o dinheiro seja acertado”, explicou Luciano Deodato, presidente da UESBN.

Já o presidente da Lesnit, Carlos Xororó, explicou que a administração municipal prometeu o pagamento da verba para o Carnaval para o último dia 25, mas os depósitos ainda não foram feitos. “Algumas escolas deram entrada até o dia 18 (passado) para tentarem adiantar o recebimento do dinheiro mas os processos estão travados e estão esperando outras inscrições. Quem se adianta não tem vantagem e fica atrasado como todos. A gente tem que fazer carnaval com antecedência e estou muito injuriado”, comentou. Xororó também é presidente da Combinado do Amor, e disse que chegou a pegar dinheiro emprestado com juros para agilizar algumas coisas da agremiação.

O mesmo acontece com a escola de samba do Fonseca, Magnólia Brasil, que está adiantando o serviço com recursos próprios.
“Não se faz carnaval em 20 dias e estamos colocando do próprio bolso para conseguirmos fazer nossa festa. Estamos com atelier de fantasia e no barracão improvisado estamos soldando, pintando e recuperando algumas esculturas. Estamos aguardando essa verba e todo ano passamos por isso”, contou o presidente da agremiação Paulo Renato Moura.

Mas o otimismo não deixa os responsáveis pela festa do momo na cidade perderem a esperança e a vontade de fazer carnaval. O responsável pela agremiação Fora de Casa (Bairro de Fátima), Jorge do Bairro, explicou que as dificuldades enfrentadas pelas agremiações da cidade não vão impedir que Niterói tenha desfiles lindos.
“Assim que a verba sair vamos começar o nosso Carnaval do zero. Estamos na expectativa e com muita garra para trabalhar e o importante é fazer essa festa na cidade. Temos noção que fevereiro é um mês muito curto e vamos ter pouco tempo, além de não conseguir melhores preços em materiais, mas não queremos pensar na crise e sim nas soluções”, contou com entusiasmo o presidente.

A Prefeitura de Niterói foi questionada sobre o assunto mas até o momento não respondeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *