Enterro das vítimas de chacina é marcado por dor e revolta

As três vítimas da mesma família mortas em uma chacina no bairro de Marambaia, em São Gonçalo, foram enterradas na tarde desta terça-feira (22) no Cemitério do Maruí, no Barreto, em Niterói. Rodrigo Avelino Braga, de 38 anos, e os dois sobrinhos, os primos Gabriel Trigueiro de Oliveira, de 19 anos e Renan Trigueiro de Almeida, de 20 anos, foram mortos dentro de casa.

O sepultamento aconteceu em sequência e teve início às 15h49min. Os familiares preferiram que a imprensa não acompanhasse o enterro e houve um princípio de confusão. No cortejo de Rodrigo, uma mulher que seria a mãe dos meninos debruçou no caixão e disse que não acreditava no que estava acontecendo.
“Ele está indo. Devolve meus filhos Rodrigo. Você me prometeu que iria me ajudar a criá-los”, disse chorando.

Segundo a avó dos meninos, que pediu para não ser identificada, os meninos eram trabalhadores.

“Renam estava já empregado e curtia o trabalho. Já Gabriel estava a procura de emprego”, lamentou.

Segundo o encarregado dos coveiros, Enir Monteiro, o velório familiar foi um dos mais emocionantes que já aconteceu no local.

“É a primeira chacina do ano em São Gonçalo né? Espero que a polícia investigue e faça justiça para a família ficar mais em paz. Por causa da revolta e confusão tive que mudar o velório da capela A para a H para que eles ficassem mais à vontade”, disse Enir.

Cerca de 48 horas após a chacina onde nove pessoas foram mortas a tiros na divisa entre os municípios de Itaboraí e São Gonçalo, entre o fim da noite de domingo e a madrugada de segunda-feira, o medo e ainda dominava as ruas da localidade conhecida como BNH, em Itaboraí. Muitas pessoas preferiram não dar declarações e mantiveram o silêncio, temendo por possíveis retaliações.

“Está praticamente descartada a versão de guerra de traficantes rivais. A principal hipótese pode ser a atuação de milicianos na localidade. Todas as versões estão sendo avaliadas pela polícia”, afirmou, no fim da manhã de ontem a titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo (DHNSG), delegada Bárbara Lomba, acrescentando que as investigações estão avançando para identificar e prender os responsáveis pela chacina.

O corpo da comerciante Débora Rodrigues, de 46 anos, foi sepultado no Cemitério São Judas Tadeu, em Itaboraí, mesmo município onde foi enterrado Pablo Damasceno dos Esteves, de 26 anos, morto no bairro Ampliação, e sepultado no cemitério São João Batista.

A DHNSG evitou fornecer maiores detalhes das investigações e diligências realizadas, mas sabe-se que a especializada está buscando imagens de circuitos de câmeras de segurança e colhendo depoimentos de pessoas residentes no BNH e confrontando com outros ligados a família das vítimas. Fontes policiais não descartam que milicianos podem ter promovido a chacina como vingança pela execução do cabo do 35º BPM, Rodrigo Marques Paiva, na semana passada. Ele residia na região e foi morto a tiros quando fazia um lanche no trailer de sua mãe.

A segunda versão seria a de uma violenta disputa pelo controle da venda de drogas na localidade, o que teria levado quatro homens encapuzados e fortemente armados a percorrerem a região de carro executando as vítimas. Das nove vítimas, a Polícia Civil informou que apenas uma delas teria anotações criminais, por roubo e tráfico: Michael Douglas da Silva Machado.

Agentes também estariam averiguando a veracidade de mensagens reproduzidas nas redes sociais, onde um homem conversa com outro sobre ordens para fechamento de comércio. Não se sabe se na localidade do BNH, pois a DHNSG não deu declarações sobre essas e outras questões relacionadas à chacina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *