Engenheiro é assassinado na Venda da Cruz

O engenheiro Antônio Claudio Alves Rangel, de 57 anos, foi assassinado durante um assalto em seu comércio no bairro Venda da Cruz, Niterói, no início da tarde desta sexta-feira (13). Segundo relato de testemunhas para a Polícia Militar, a vítima chegou a ser socorrida ao Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, mas não resistiu aos ferimentos.

O crime ocorreu por volta das 13h, na Rua Dr. March, número 427. Segundo informações de populares, o engenheiro estava no interior de sua loja de material de construção quando dois ladrões estacionaram uma moto e foram em direção ao estabelecimento. Em seguida se ouviu um disparo de arma de fogo. “Logo após o estampido do tiro, os assaltantes correram em direção à moto, trocando a camisa e fugiram”, disse um morador que não quis se identificar.

O irmão da vítima, Luiz Eduardo Alves Rangel, que estava de folga em Rio das Ostras, na Região dos Lagos, ao ser avisado do ocorrido saiu direto da praia e foi para o IML de Itaboraí, onde o corpo permanecia até o fechamento da edição. “Não sei o que aconteceu, voltei logo assim que tive a triste notícia, fui orientado aqui no IML a fazer uma ocorrência do fato na delegacia”, lamentou.

A equipe de reportagem de A TRIBUNA esteve no local e encontrou muitas pessoas assustadas. Um comerciante, com medo de se identificar, criticou a audácia dos ladrões. “Em plena luz do dia e num horário em que muitas pessoas estavam na rua é um absurdo. Principalmente pelo fato de que a 100 metros do local, onde ocorreu a tragédia, tem um Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO)”, ressaltou.

Amigos lamentaram a morte do engenheiro, que era muito querido em Niterói. Casado com Margareth, o engenheiro deixa um filho e muita saudade nos amigos que costumavam se reunir com ele.
O caso foi registrado pela 4ª Companhia de Policiamento de Área (CPA), do 12º Batalhão de Polícia Militar, como latrocínio, mas os suspeitos não foram encontrados. A vítima será enterrada na tarde deste sábado, no Cemitério Parque da Colina, em Pendotiba. O horário não fora confirmado até o fechamento desta edição.

Violência aumenta para moradores e comerciantes, em Niterói
Moradores e comerciantes de Niterói reclamam de muitos assaltos na região nos últimos meses. Os dados do Instituto de Segurança Pública confirmam: os roubos ao comércio aumentaram mais de 45% se compararmos os quatro primeiros meses de 2017 com o mesmo período do ano passado.

Um desses casos foi em junho, quando uma jovem de 19 anos foi atingida por um tiro durante uma tentativa de assalto ao hortifruti de seu pai na Rua Mariz e Barros, em Icaraí, na Zona Sul. Por volta das 20 horas, um criminoso armado invadiu a mercearia e anunciou o assalto. Um funcionário que trabalha no local reagiu e houve luta corporal. A jovem, que tentou ajudar para desarmar o bandido, acabou atingida.

Relatos de comerciantes do Centro são assustadores, muitos dizem que não chegam a registrar ocorrências, atrapalhando o trabalho da polícia no levantamento da mancha criminal.

“Só aqui na Rua Visconde de Sepetiba, em uma semana, bandidos assaltaram cinco vezes o mesmo local. Eles param no sinal, rendem quem está parado. Um, dois carros, levam tudo, ouvimos até um tiro hoje. Estamos reféns dessa modalidade, desse medo, está tudo abandonado: Icaraí, Centro, Zona Norte, não tem policiamento preventivo de revista aos suspeitos. Todo dia quase tem esse tipo de assalto aqui”, disse outro comerciante do Centro que não quis se identificar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =