Enfermeiros relatam deficiências na saúde

A prefeita Fátima Pacheco saiu do gabinete para ouvir as demandas e necessidades do servidor. No início da semana ela recebeu mais dois grupos na sala de reuniões da Prefeitura. Primeiro os técnicos em enfermagem e, na sequência, enfermeiras, todos das Unidades de Saúde da Família – USFs.

Dos técnicos ela ouviu pedido de mais segurança, em algumas das unidades, principalmente nos atendimentos noturnos; solicitações de aumento das equipes, que estão sobrecarregadas com o crescimento populacional em suas áreas de atuação; manutenção de computadores e rede, e de ar-condicionados; e sobre a locomoção para visitas domiciliares, dificultada pela falta de transporte.

Já na reunião com as enfermeiras foram ratificadas as solicitações do grupo anterior e discutidas outras questões, como o ajuste nos atendimentos; falta de alguns medicamentos; a invasão em algumas unidades; o crescimento da violência; o uso e venda de drogas pelos adolescentes e como conseguir acesso a eles; e gravidez precoce.

Segundo a subsecretária e médica Lia Mary Passos, a intenção é implantar, no município, o prontuário eletrônico e, para isso, é preciso informatizar todos os setores para não deixar ninguém de fora. E que, por isso, está sendo feito o levantamento das necessidades de cada unidade de saúde para que possa ser desenvolvido o sistema.

“O que eu espero de vocês é não perder esse contato direto, aberto, para saber tudo o que está acontecendo. Eu preciso disso. Porque estamos atravessando um momento difícil, mas vamos passar por isso e melhorar nossas condições de trabalho e também a questão salarial. Nós temos o mais importante, que são servidores de qualidade e que amam o que fazem”, afirmou Fátima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − dezesseis =