Enfermeira da ‘vacina de vento’ pode responder por improbidade administrativa

A técnica de enfermagem Rosemary Gomes Pita, suspeita de ter deixado de aplicar propositalmente a vacina contra covid-19 em um idoso em Niterói, poderá responder por mais um crime. O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) instaurou inquérito para apurar possível improbidade administrativa.

A investigação foi iniciada pela 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Região Metropolitana II na sexta-feira (19). Segundo o MPRJ, o vídeo que flagrou a falsa aplicação será analisado para verificar se há indícios de edição fraudulenta, de fraude no procedimento e a técnica utilizada na aplicação. A técnica de enfermagem também será ouvida para prestar os esclarecimentos relativos à situação.

Na quinta-feira (18), Rosemary foi foi desligada do quadro de funcionários da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Após o caso vir a público, a SMS identificou a técnica de enfermagem, que foi imediatamente afastada de suas funções. O caso foi denunciado ao Conselho Regional de Enfermagem.

Um dia antes, o delegado Luiz Henrique Marques Pereira, titular da 76ª DP (Niterói), responsável pela investigação, optou pelo indiciamento pelos crimes de peculado e infração de medida sanitária preventiva. A profissional foi ouvida, assim como a coordenadora de vacinação que trabalhou com ela no posto drive thru da Universidade Federal Fluminense (UFF), no Gragoatá, Região Central de Niterói, onde ocorreu o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + dois =