Empresas não conseguem cadastrar renda de empregados no BU

Geovanne Mendes –

Apreensão, raiva, esperança e outros tantos sentimentos fazem parte de quem precisa realizar o cadastro do Bilhete Único, no caso os empregadores e os trabalhadores, os beneficiários deste programa da Secretaria Estadual de Transporte (Setrans). A situação fica mais intensa quando se observa que mais de quatro milhões de usuários correm o risco de ter o benefício suspenso a partir do próximo dia 25 de maio, prazo limite para o cadastro dos funcionários de empresas que ganham até R$ 3 mil por mês. Segundo a própria Setrans, apenas 30%, ou 1,2 milhão, dos usuários realizaram o cadastro de renda mensal no site, o que é obrigatório para a manutenção do benefício.

O problema é que muitas empresas não estão conseguindo acessar a página de cadastro da Setrans. A maioria relata problemas com conexão, erros e outras dificuldades que ocorrem na página da internet da secretaria e que podem resultar no cancelamento do benefício.

“Estou indignada, desde o dia 8 de maio eu tento cadastrar os meus 10 funcionários e não consigo. Pelo telefone da Setrans eu fico preso na linha cerca de três horas e por e-mail não recebo resposta. Preciso resolver logo porque os funcionários não podem sofrer com a falta de organização da secretaria de transportes e muito menos as empresas não terão condição de arcar com esses gastos”, informou Denise Ramos, auxiliar administrativa de uma empresa no Centro de Niterói.

De acordo com o previsto na lei estadual nº 7.506, de 29 de dezembro de 2016. O trabalhador que não tiver o seu cadastro efetuado comprovando a declaração de que ganha até R$ 3 mil não estará apto a usufruir do desconto tarifário, mas vai continuar com os cartões Bilhete Único Intermunicipal, tendo descontada a tarifa integral de cada modal utilizado.

O cadastro deve ser atualizado sempre que houver mudanças nos dados do trabalhador. O empregador deve declarar o valor nominal da renda mensal do empregado no ato da compra dos créditos de vale-transporte. Depois de realizado o login, o sistema direciona automaticamente para a tela onde será selecionado o beneficiário do BUI, para em seguida cadastrar a renda.

Serão somadas as rendas individuais do usuário que tiver mais de um empregador associado a um único cartão eletrônico. E essa soma, para que o usuário seja contemplado com o benefício tarifário, não pode ultrapassar a renda mensal de R$ 3 mil.

Os funcionários dispensados deverão ter os seus dados cadastrais atualizados pelo contratante em até 15 dias úteis a contar da data da rescisão. A Setrans poderá conferir a veracidade dos dados cadastrais, a qualquer tempo, por mecanismos legais disponíveis. Se por acaso irregularidades forem observadas, o titular do BUI irá prestar esclarecimentos e poderá ter o benefício suspenso.

O autor das informações fornecidas, seja o titular do cartão ou o comprador de créditos, que de alguma forma concorrer com a prática de fraude às regras do programa estará sujeito à responsabilização nas esferas administrativa, cível e criminal.

Em nota, a Secretaria de Estado de Transportes informou que as solicitações pontuais referentes ao cadastro de renda mensal estão sendo analisadas e tratadas, e que os técnicos responsáveis entram em contato com essas empresas para apresentar as soluções.

Passo a passo
– Acessar o site da Setrans
– Clicar no banner “Declaração de renda do BUI”
– Após efetuar o login, escolher a opção “Informar ou atualizar renda”
– Cadastrar o rendimento (até R$ 3 mil ou acima de R$ 3 mil)
– Declarar que as informações prestadas são verdadeiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *