Empresas inadimplentes crescem em Niterói

Pedro Conforte –

O número de empresas com contas em atraso e registradas no cadastro de inadimplentes cresceu 3,64% na comparação entre os anos de 2017 e 2018, em Niterói. Isto era previsível, de acordo com Luiz Vieira, presidente da CDL-Niterói, trata-se de um reflexo da economia que vinha acontecendo em todo Estado.

“O índice de recuperação econômica ainda está muito pequeno. Tivemos ano passado um índice de 2,6% no faturamento médio de vendas, isto ainda é muito pequeno, frente a uma necessidade de aumento de custos muito mais alto que isto, como energia e a folha salarial, por exemplo. A matéria prima não houve grandes alterações, mas também não houve uma expectativa de venda, muito pelo contrário”, comentou Luiz Vieira, alertando que é importante que o gestor faça sua parte, seja capacitado e utilize os meios para que possa fazer um controle do seu negócio. “Reavaliar sua empresa e encaixar dentro da atual realidade”, finalizou.

Este reflexo também já é visto em 2019, segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Os inadimplentes cresceram 5,91% em janeiro ante o mesmo período de 2018. Na comparação com dezembro de 2018, o avanço foi de 7,44%, de acordo com dados divulgados pelas entidades.

O aumento da inadimplência em janeiro de 2019 foi maior entre as empresas do ramo de serviços (9,15%). Os atrasos entre empresas do comércio cresceram 3,73%, na indústria, o crescimento foi de 2,73%. No total, 45,6% das empresas que estão negativadas pertencem ao setor de comércio e 40,1% ao de serviços.

Segundo os dados, entre os segmentos credores (empresas que deixaram de receber de outras empresas), o setor de serviços (bancos e financeiras) também teve destaque, sendo 69,4% do total de dívidas. O comércio detém 17,2% das dívidas de empresas e 12,5% correspondem à indústria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − 5 =