Empresário da Região Oceânica de Niterói é preso por organização criminosa e extorsão

O dono de um dos quiosques de Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói, Guilherme Andrade Aguiar de 39 anos, foi preso na tarde de sexta-feira por policiais da 76ª DP (Centro) com apoio da polícia civil de Minas Gerais, parte da Operação Ábaco. Conhecido como Macarrão ele tinha mandado de prisão preventiva em aberto pelos crimes de organização criminosa e extorsão. Ele estava foragido desde o início do ano após conseguir escapar da Operação Mercadores de Veneza, deflagrada pela 44ª DP (Inhaúma) para desarticular uma grande organização criminosa voltada, além da extorsão, para agiotagem.

Segundo a civil ele é considerado o líder de umas das maiores Organizações Criminosas do Estado do Rio de Janeiro e ostentava uma vida de luxo e era uma figura conhecida na cidade. Além da prática da agiotagem clássica com incidência de juros abusivos, a organização criminosa também fazia vítimas cobrando empréstimos antigos, que foram obtidos com agiotas há muito tempo, e que na grande maioria das vezes já tinham sido quitados. Inusitadamente eles extorquiam também algumas vítimas por empréstimos que nunca existiram. A quadrilha telefonava insistentemente para os supostos devedores, seus parentes, e até vizinhos, fazendo graves ameaças até conseguirem o pagamento da suposta dívida, em decorrência do pavor que causavam nas vítimas.


Os policiais civis viajaram na última segunda-feira (25) para Minas Gerais, na cidade de Contagem, para capturar o homem. Ele morava na Zona Rural e conseguiu fugir do cerco policial. Na sexta-feira (29) os civis conseguiram capturar Guilherme em Belo Horizonte, que estava dirigindo um carro no Centro da cidade e não ofereceu resistência.

Ele estava portando documento falso, em nome do próprio irmão, e foi encaminhado ao sistema prisional de Minas Gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 18 =