Em São Gonçalo, os agentes serão treinados para usar armas de fogo

Raquel Morais –

O comandante da Guarda Municipal de São Gonçalo (GMSG), Carlos Eduardo Machado, informou que teve uma reunião na última quarta-feira (16) com a chefe de gabinete da Prefeitura para solicitar a utilização de uma área da sede, no antigo 3° BI, para o Centro de Formação de Instrução. O novo setor será responsável por treinar os 325 guardas municipais para começarem a utilizar arma de fogo durante o trabalho. O projeto foi votado e aprovado no ano passado na Câmara dos Vereadores, mas ainda não foi implementado no município. Além disso, o chefe da guarda vai pedir uma parceria com o 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) para utilização do estande de tiro para treinamento dos guardas com um instrutor qualificado pela Polícia Federal.

A intenção é até o primeiro semestre já ter iniciado a formação da primeira turma, que terá 40 guardas, e terá duração de três meses. Atualmente o município conta com 325 guardas municipais e segundo o comandante o número é muito abaixo do necessário.

“Precisamos de pelo menos mil funcionários para conseguir atender toda a cidade que tem quase um milhão e meio de habitantes”, contou Machado, lembrando que atualmente eles contam com spray de pimenta, spark (arma não-letal) e cassetete para fazer o patrulhamento na cidade através do policiamento ostensivo e preventivo.

Segundo o comandante as armas poderão ser de três tipos: revólver 38, pistola 380 ou escopeta calibre 12. Ele contou que entrou na GMSG em 1983 e o trabalho era armado e assim ficou até 1994 quando o município ficou três anos sem os guardas municipais. Em 1998 a função foi retomada, porém sem armas de fogo.
“Na época a gente usava 38 e estou acostumado a defender os gonçalenses. Queremos e precisamos do armamento pois a arma tem que estar na mão da polícia e da guarda municipal e não na mão do adolescente de 16 anos. Vamos cumprir as exigências da Polícia Federal e precisamos do centro de formação, do treinamento e de avaliação psicológica para darmos início nesse projeto”, contou.

A Prefeitura de São Gonçalo informou que o projeto foi sancionado pelo prefeito. O curso de formação já foi encaminhado à Polícia Federal, faltando apenas um instrutor de tiro e um psicólogo para o começo do treinamento. Sobre as armas, estão realizando uma proposta de convênio ao Governo do Estado para solicitar uma doação da PM das armas que não estão sendo mais utilizadas pelos agentes, uma vez que, atualmente, utilizam revólver de calibre 40. A previsão da conclusão do armamento é até o início do segundo semestre de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *