Em quatro anos, Niterói apresentou redução nos índices de violência

Criado em dezembro de 2017, o programa Niterói Presente foi lançado na ocasião com o propósito de reduzir a violência no município, que vinha em constante alta, e também propor uma proximidade entre os moradores da cidade com os policiais, estreitando o policiamento comunitário. A iniciativa foi a primeira que teve o custo arcado integralmente pela prefeitura, com o investimento anual em R$ 137 milhões por ano em pessoal. E os resultados começaram a aparecer no ano seguinte.

De acordo com a análise da série histórica do Observatório de Segurança de Niterói e do Instituto de Segurança Pública (ISP), por exemplo, em valores absolutos, que foram 394 roubos de rua em agosto de 2018, contra 102 em agosto de 2021, o que corresponde a uma queda de 74% no período. No que se refere a roubo de veículos, foram 157 em agosto de 2018, caindo para 31 em agosto de 2021, uma redução de 80%.

Em levantamento parcial do Observatório de Segurança, já antecipando os dados coletados em delegacias e incluindo o mês de agosto de 2021, a série mostra que a letalidade violenta caiu 48% entre agosto de 2018 e o mesmo mês de 2021.

Somente as equipes do programa foram responsáveis por mais de 2.700 ocorrências atendidas ao longo desse tempo. Com as abordagens, 680 foragidos da Justiça foram retirados das ruas e aproximadamente 500 pessoas detidas em flagrante em crimes como furtos e roubos. Foram pelo menos 120 carros recuperados. Além disso, de acordo com a Secretaria Municipal de Ordem Pública, o efetivo fixo de policiais era formado, em média, por 485 homens por dia nas ruas da cidade, sendo que a ação acontecia em bairros como Barreto, Icaraí, Santa Rosa, Centro, Fonseca, Charitas, São Francisco, Jurujuba e na Região Oceânica.

O programa era fruto uma das ações do Pacto Niterói contra a Violência, um plano de Segurança Pública com investimentos municipais de R$ 304 milhões em 18 projetos nos eixos de Prevenção, Policiamento e Justiça, Convivência e Engajamento dos Cidadãos e Ação Territorial Integrada.

Com a não renovação do Programa Niterói Presente, o prefeito Axel Grael afirmou que planeja, a partir de agora, usar os recursos em novas ações complementares do Pacto Niterói contra a Violência.

“Vamos continuar investindo para garantir mais segurança e proteger a nossa população. Reafirmo que estávamos mantendo o Niterói Presente em benefício da população, e que vamos continuar com os recursos investidos no programa para outras ações do Pacto Niterói contra a Violência. Também serão mantidas todas as iniciativas de apoio ao trabalho policial, como as de inteligência, câmeras de segurança e o cercamento eletrônico, além do trabalho de integração da administração municipal com todas as autoridades policiais que atuam na cidade. O conjunto de ações que temos tomado desde 2013 nos levou a este resultado expressivo, com os menores índices de criminalidade da Região Metropolitana”, explicou o prefeito niteroiense.

Tecnologia para combater o crime

Para alcançar os resultados positivos foram criadas ferramentas que auxiliam as forças de segurança no combate à violência, como o Proeis, no qual o município pagava para policiais trabalharem em seus dias de folga na cidade. Através do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), inaugurado em 2015, disponibilizou para os trabalhos de campo as 522 câmeras que monitoram a cidade 24 horas, 70 delas com inteligência artificial que formam o chamado Cercamento Eletrônico nas entradas, saídas e principais vias da cidade. Todos os carros que passam por essas vias são registrados e podem ser acompanhados pelas forças de segurança. Nos últimos anos, o número de guardas municipais passou de cerca de 300 para 714, todos concursados.

“A Prefeitura de Niterói iniciou um projeto ousado, buscando mudanças positivas.  Trabalhamos com cada resultado e justificamos todo o trabalho e os recursos investidos. Em cada renovação, desde a implantação do programa, buscamos melhorar, ainda mais, a forma de atuação de contrato que tínhamos. Buscávamos alinhar e melhorar sempre lembrando que a Prefeitura ajudou pagando os custos do programa, mas também disponibilizando a tecnologia do Cisp, integrando as forças para um resultado melhor. Vamos continuar monitorando e observando como tudo funcionará em benefício da população”, afirma o secretário de Ordem Pública de Niterói, Paulo Henrique Moraes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 2 =