Em Niterói, abaixo-assinado pede municipalização do Restaurante Popular

Wellington Serrano

Os moradores do Centro, Ponta da Areia, Caramujo e Vale de Santa Clara, em Niterói, resolveram fazer um abaixo-assinado para pedir que a Prefeitura de Niterói assuma a gestão do Restaurante Popular e o reabra.

De acordo com a líder do movimento, a vereadora reeleita Verônica Lima, o ato em defesa nasceu devido aos apelos de muitos moradores e usuários. “Consumidores do restaurante foram ao meu gabinete na Câmara e pediram o meu apoio. Por isso estou aqui e vou reunir mais de cinco mil assinaturas para entregar o abaixo-assinado à prefeitura e tentar sensibilizar o prefeito Rodrigo Neves”, disse a vereadora reeleita.
Ela espera que o restaurante volte a atender aos vários trabalhadores, pessoas desempregadas, com pouco dinheiro, idosos e ambulantes e também suprir a necessidade das pessoas que transitam pelo local. “Estou botando a banca na rua para reclamar e colher as assinaturas. O povo não pode pagar essa conta que é fruto de uma péssima administração do miserável do Pezão”, lamenta Verônica.

Para o presidente da Associação dos Moradores do Caramujo, Karlos Belchior Ferreira, o restaurante faz falta. “Vários amigos meus aqui do bairro disseram que foram prejudicados com o fechamento. São pessoas com a grana curta que paravam um minuto no seu trabalho informal para se alimentarem”, destaca.

O ato contou com presença da equipe do mandato do deputado Estadual Waldeck Carneiro (PT), dos presidentes das associações de moradores do Vale de Santa Clara, André Luiz da Conceição, e do Morro da Penha, Adriano Feliciano; e da Federação das Associações de Moradores de Niterói (Famnit).

Em nota, a Alimentação Carmense, que gere as unidades de Niterói, Irajá e Campos, informou que a dívida do governo do estado, referente a 15 meses, é de R$ 7,2 milhões.

“O Restaurante Popular Jorge Amado, no Centro de Niterói, encontra-se fechado desde o dia 2 de dezembro em virtude do atraso nos repasses. Na unidade eram servidas 1.700 refeições diárias, além de 500 cafés da manhã, com 40 funcionários contratados pela empresa para atender o público”, lamenta a empresa.

One thought on “Em Niterói, abaixo-assinado pede municipalização do Restaurante Popular

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + dez =