Em greve, educação de Rio Bonito promove protesto hoje

Wellington Serrano

Profissionais da educação de Rio Bonito estão desde o início da semana em greve. Eles prometem uma manifestação hoje, no Centro. O ato tem previsão de começar por volta das 16h, na Praça Fonseca Portela. De acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe Rio Bonito), a pauta de reivindicações é pelo plano de cargos e salários, piso nacional, 13º de planejamento, pagamento do salário no quinto dia útil e o fim da complementação salarial. Uma assembleia, também prevista para esta sexta-feira, no Motorista Futebol Clube, vai definir os rumos do movimento.

A direção do Sepe está visitando as escolas municipais, esclarecendo pontos sobre a greve e estimulando os profissionais de educação do município de Rio Bonito a aderirem à greve. Segundo o sindicato as escolas que apoiaram a greve foram: Escola Municipal Oscar Moreira; Ralbino Pereira de Mesquita; Kingston Mota; Maria Lídya; Professor Honesto Almeida Carvalho; Colégio Municipal Doutor Astério Alves de Mendonça e o Colégio Municipal Maurício Kopke.

ASSÉDIO MORAL
Os professores e diretores das escolas denunciam pelas redes sociais que o prefeito Luiz Antunes, o Mandiocão (PP), está indo nas escolas em greve ameaçando e cometendo assédio moral contra os profissionais da educação. “Recebemos hoje na Escola Municipal Kopke o prefeito, que veio saber o nome e turno de todos os profissionais da escola que aderiram à greve. Ele solicitou, por diversas vezes e ‘ordenou’ para que fosse enviada falta por todos os dias em que estivessem afastados das turmas”, denunciava uma postagem compartilhada na página do Sepe.

Uma diretora que aderiu à greve afirma que a pressão do prefeito vem de encontro ao momento de início das aulas para melindrar o movimento de articulação. “O prefeito ressalta que está amparado pelo jurídico da prefeitura e exige que seja enviada falta enquanto houver afastamento. Segundo ele, a greve está sendo feita num momento inoportuno e está havendo falta de consideração com os alunos. Quero deixar claro que a direção estará apenas cumprindo seu papel, que não há tentativa de prejudicar ninguém. Comunico que a SME solicitou o nome das disciplinas em que os alunos estão sem aulas hoje”, postou.

Procurado, o secretário municipal de Educação de Rio Bonito, Délio Moraes, disse que apenas 12% dos professores estão em greve. “Apuramos que das 46 unidades só três escolas aderiram ao movimento. Foi o Colégio Municipal Maurício Kopke, que tem 30% dos professores parados, a Maria Lídya, com 50%, e no Ralbino Pereira de Mesquita, que também tem 50% dos professores em greve”, explicou o secretário.

Sobre as acusações de assédio moral do prefeito, o secretário negou e disse que Mandiocão pediu na verdade para cortar o ponto dos professores que não estão indo trabalhar. “Estamos aberto ao diálogo e fazendo de tudo para ajudar, mas estamos com apenas dois meses de gestão e precisamos de paciência do professor para resolver a questão”, afirmou o secretário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − cinco =