Eleições na UFF: Salles quer mudanças para segundo turno

Wellington Serrano –

Problema de omissão por parte da Associação dos Professores Inativos da UFF (Aspi-UFF) na coordenação da Comissão Especial Eleitoral (CEE) para reitor da Universidade Federal Fluminense (UFF) colocaram sob suspeita o processo de eleição na instituição. Um dos três candidatos, Roberto Salles, acredita em possibilidade de fraude e pede mudanças na regra do segundo turno. Apuração das urnas apontou empate técnico entre as Chapas 1, de Antônio Cláudio, e 2, de Salles.

Em comunicado aos professores, técnicos administrativos e estudantes no dia seguinte a apuração, Salles denunciou que o resultado da Consulta à Comunidade poderia mudar a eleição. “A oposição à atual gestão da UFF, a Chapa 2, teve 54 % do resultado desta consulta, enquanto a Chapa 1 da Reitoria teve 46%. Estou na UFF desde 1977 e nunca participei de um processo eleitoral tão desleal com a Universidade. A derrota da chapa da atual reitoria teve um papel indigno com todos da UFF e a Aspi foi omissa na coordenação da Comissão Eleitoral”, afirmou.

Salles reclamou que iniciar o segundo turno com as mesmas regras e as mesmas práticas, consideradas por ele desleais, do primeiro turno seria ‘perverso’ com a Universidade. “Mas tenho que fazer a minha parte de defender a UFF e a dignidade da comunidade. Este segundo turno pode ser um recomeço ou um desastre ético. Os ocupantes de cargos de direção controlados pelo reitor e pelo vice-reitor fizeram a opção pelo desastre. Nós vamos seguir no caminho da ética”, finalizou.

A Comissão Especial Eleitoral disse que conduziu todo o processo com responsabilidade, isonomia, transparência e imparcialidade, portanto, qualquer questionamento em relação a lisura do processo não se justifica.

Em relação às regras do processo, a CEE afirmou que foram publicadas 13 Instruções Normativas, que estão em total consonância com as normas estabelecidas no Regimento Geral das Consultas Eleitorais da UFF de 1997, cuja maioria foram discutidas, elaboradas e aprovadas pelas Chapas que participaram do processo Eleitoral. “Todo o processo transcorreu dentro das normas estabelecidas nas Instruções Normativas”, disse.

Segundo a Comissão, todos os requerimentos impetrados pelas três chapas durante o período da Campanha Eleitoral foram respondidos com isonomia e imparcialidade. “Foram 42 Seções Eleitorais, sendo todas apuradas e validadas”, apontou o CEE.

O resultado oficial da eleição ficou assim: Chapa 1 – Antônio Claudio/Fábio Passos, 46,50%; Chapa 2 – Roberto Salles/Wainer, 45,10% e a Chapa 3 – Sérgio Mendonça/Francisco Estácio, 8,51%.
Procurado, o professor Antônio Cláudio não se manifestou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + quatro =