Eleição nesta terça no Hospital Santa Cruz escolhe novo presidente

Anderson Carvalho –

Os 1.500 associados da Sociedade Portuguesa de Beneficência de Niterói (SPBN) poderão ir nesta terça-feira (20), das 10h às 20h, escolher o novo presidente da instituição, que é responsável pelo Hospital Santa Cruz, no Centro, fechado há quase cinco anos. O processo eleitoral será em cédulas de papel e há duas chapas concorrendo: A da situação, Beneficência dos Sócios, encabeçada pelo atual presidente, Vinícius Nery, de 37 anos, e a da oposição, Reinauguração do Santa Cruz, liderada pelo advogado Elênio Moreira, de 85. A chapa vencedora, além de eleger o presidente, comporá a nova diretoria da SPBN. O mandato é de dois anos, com possibilidade de reeleição.

Nery está concluindo o seu segundo mandato consecutivo, após ter sido eleito pela primeira vez em março de 2014. Em sua gestão, alguns imóveis chegaram a ser leiloados pela Justiça do Trabalho, por valores abaixo do mercado, para atender ações trabalhistas de ex-funcionários do hospital. No final do ano passado, a atual direção conseguiu a aprovação dos associados para alugar os prédios anexos ao HSC a empresas de saúde para conseguir atendimento médico aos sócios e recursos para pagar as dívidas trabalhistas e tributárias. Em dezembro, alugou o prédio do antigo ambulatório para a Policlínica de Niterói, que após obras de adaptação no espaço, inaugurou a nova unidade no último dia 12.

No último dia 14, durante assembleia dos sócios, estes aprovaram prestação de contas do biênio 2016/2017. A chapa Beneficência dos Sócios divulgou carta aos associados informando que a contabilidade, os salários dos atuais funcionários, o 13º e o INSS estão em dia e que até o momento foram pagos mais de R$ 4 milhões em dívidas trabalhistas. Durante os quatro anos de gestão, a diretoria foi acusada de falta de transparência, que a direção sempre negou.

Já a chapa Reinauguração do Santa Cruz, lançada em 21 de fevereiro, que tem como apoiadores o ex-presidente da OAB-Niterói, o advogado Fernando Guedes de Azevedo, propõe transformar o hospital em uma empresa de sociedade anônima. Com isso, financiar a SPBN, que será transformada em uma fundação. As receitas a serem geradas pelo HSC serão usadas para quitar as dívidas da Sociedade, hoje em torno de R$ 130 milhões. Elênio quer trazer de volta todos os bons quadros médicos, o pessoal técnico e o administrativo. Uma empresa iria gerir o hospital. A SPBN, transformada em fundação, iria cuidar das dívidas. Os associados continuariam a ter atendimento médico pela fundação até o fim da vida. Os seus herdeiros se tornariam sócios do hospital.

Após a apuração do resultado das urnas será marcada a data da posse da nova diretoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × quatro =