Duas mulheres são as primeiras a receber a vacina no estado

Uma idosa que vive em um abrigo e uma profissional da saúde foram as primeiras vacinadas na campanha contra a Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro.

Terezinha da Conceição, de 80 anos, e Dulcinea da Silva Lopes, 59 anos, receberam a dose da Coronavac em um ato simbólico no Cristo Redentor, marcando o começo da distribuição das vacinas.

Terezinha foi acolhida pela prefeitura em 2015. Ela estava em situação de vulnerabilidade e risco social, pois sua casa foi demolida pela Defesa Civil. A residência, no Bairro Santo Cristo, na Zona Portuária, não tinha saneamento básico e estava próxima à ribanceira.

“Fiquei muito emocionada. Mais feliz da minha vida porque agora posso sair, posso fazer o que quiser. Estou muito bem dentro do abrigo, mas tenho vontade de sair”, celebrou Terezinha, que ainda precisa tomar a segunda dose em até três semanas.

Já Dulcinea trabalha na linha de frente do combate à Covid-19 há 8 meses. Ela é técnica de enfermagem do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, unidade de referência da Prefeitura do Rio no tratamento da doença. Ela também trabalhou por 8 anos como agente comunitária de saúde.

“Quero voltar a trabalhar normalmente. Por ser idosa, mesmo não estando aposentada e tendo comorbidade, não posso ficar me expondo muito. Então tenho que ter uma escala bem estrita. E, agora, com a vacina, eu espero que a gente, depois de um tempo, eu vou poder voltar a fazer o que eu sempre quis”, comemorou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + sete =