Dragagem do Canal São Lourenço começa a ser levantada

Raquel Morais –

A Prefeitura de Niterói divulgou que a empresa vencedora para o estudo do projeto de dragagem do Canal de São Lourenço já está realizando as avaliações preliminares do local. O assunto é antigo, mas parece que o assoreamento dessa parte da Baía de Guanabara vai acelerar também o funcionamento do Terminal Pesqueiro Público de Niterói, situado no bairro do Barreto, na Zona Norte. Pescadores e metalúrgicos esperam a solidificação desses projetos devido a falta de navegabilidade do trecho em questão.

A empresa que fará esse relatório, a Concremat, foi escolhida por licitação em dezembro passado. A obra de dragagem é uma responsabilidade do Governo Federal e a Prefeitura está custeando o estudo para ajudar na realização da obra, que só poderá acontecer após a liberação pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a partir do estudo. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico está acompanhando todo o processo. A Concremat foi procurada pela reportagem de A TRIBUNA, mas não se manifestou até o fechamento dessa edição.

Um dos diretores do estaleiro Camorim, na Ilha da Conceição, João Guerra, disse que não ficou sabendo da novidade sobre a dragagem do canal. Segundo ele, a situação é a mesma de anos, o canal continua com um a cinco metros de profundidade e chegará aos sete metros com a limpeza, gerando economia em todos os sentidos. Além de facilitar o trabalho dos metalúrgicos, a dragagem irá renovar as águas, melhorando a qualidade do mar, entrada e peixes e, consequentemente, o trabalho de pescadores.

O pescador Janis Carlos, de 50 anos, trabalha na profissão há 33 anos e disse que os barcos que atracam na Ilha da Conceição vão buscar peixes em alto-mar. “No canal sempre deu muito peixe e esse processo da limpeza do fundo mar vai aumentar muito a quantidade de peixes. Vamos poder pescar corvina, sardinha, tainha e muitos outros peixes na Baía de Guanabara. Os pescadores que têm barcos pequenos também vão poder ganhar seu ganha-pão sem se arriscar para o meio da Baía. Com isso o nosso sonhado terminal pesqueiro deverá começar a funcionar”, comentou.

O Terminal Pesqueiro tem mais de 7 mil metros quadrados e capacidade para descarregar 25 toneladas de peixe, em uma obra orçada em R$ 10 milhões. A promessa é que o local vire também um reduto do peixe, com instalação de restaurante e bares, por exemplo, através de uma Parceria Público Privada (PPP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − cinco =