Douglas Ruas, o ‘homem dos números’ de São Gonçalo

Ele fez um balanço sobre um ano e três meses á frente da Secretaria Municipal de Gestão Integrada e Projetos Especiais

O “homem dos números”. Esta é uma das possíveis definições para a atuação de Douglas Ruas à frente da Secretaria Municipal de Gestão Integrada e Projetos especiais em São Gonçalo. Em entrevista ao jornal A TRIBUNA, ele falou sobre porcentagem de investimentos, cifras e, a cereja no topo do bolo, o pacote de R$ 1 bilhão recebido pelo Município resultado do leilão das concessões da Cedae.

Ruas deixou o cargo na última semana visando migrar para o Poder Legislativo. O ex-secretário fez um balanço sobre o período de um ano e três meses à frente da pasta. Ele recorda que a Secretaria foi concebida pela atual gestão municipal. Ruas citou quais foram os principais objetivos de seu trabalho.

“Foi muito acertada a criação da Secretaria Municipal de Gestão Integrada e Projetos Especiais. São dois objetivos bem definidos: a elaboração de projetos e captação de recursos junto aos governos Estadual e Federal. Esse trabalho teve bons resultados, mas no meio do caminho a gente foi surpreendido com o aporte de mais de R$ 1 bilhão do leilão da Cedae. O Município já recebeu 80% do valor”, disse.

Segundo o ex-secretário, o pacote de investimentos possibilitou que ele pudesse deixar uma série de planos de investimentos bem encaminhados. Contudo, ele pondera que o recurso é finito, diferente dos royalties do petróleo recebidos por cidades vizinhas como Niterói e Maricá, por exemplo. Entre as prioridades, estão a implantação de um hospital com 200 leitos, focado em oncologia e hemodinâmica, aumento do orçamento da Saúde, e a aquisição de imóveis próprios para abrigar a máquina pública. A título de exemplo, a Secretaria Municipal de Saúde funciona em um imóvel que custa R$ 90 mil mensais aos cofres públicos.

“Os repasses dos royalties são mensais e trimestrais. Os recursos do leilão da Cedae são finitos. Esse plano estratégico ‘Novos Rumos’ visa deixar um legado para a cidade. O Plano Estratégico Novos Rumos visa aumentar a capacidade de investimento do Município. Temos um eixo chamado Cidade Saudável totalmente voltado para a saúde. Serão adquiridos imóveis próprios para substituir os alugados“, prosseguiu.

Mobilidade e transporte

Douglas Ruas também enumerou ações feitas em sua gestão nas áreas de transporte e mobilidade. Uma delas é o corredor de Mobilidade Urbana Verde Integrada (Muvi). Em relação à implantação de um novo modal, ele acredita que a Linha 3 do Metrô é mais viável do que uma possível estação das Barcas. Em relação a este último, Ruas apontou a falta de um estudo de viabilidade.

“Já ouvi muito falar da estação das Barcas, mas não existe nenhum tipo de estudo de viabilidade para esse tipo de modal. Muito se falou no Gradim, que fica próximo á BR-101, mas é preciso mostrar como o gonçalense vai chegar a essa estação. A Linha 3 não tem muita dúvida sobre a viabilidade. É o transporte de massa mais indicado, mas não existiu nos últimos tempos um projeto. O que existem são conceitos e ideias”, continuou.

Economia

Foto: Divulgação

Segundo o ex-secretário, São Gonçalo possui vocação industrial. Além disso, ele citou um ranking divulgado recentemente no qual o município é apontado como um dos seis melhores para se empreender no Brasil. No que diz respeito ao tempo em que participou da administração da cidade, uma das conquistas apontadas é a abertura de três supermercados atacadistas, que, juntos, geraram aproximadamente 900 empregos.

“É preciso atrair investimentos, empresas. Foi publicado um ranking nacional em que São Gonçalo é a sexta melhor cidade para se empreender no Brasil. Fizemos vários ajustes para desburocratizar o acesso das empresas ao poder público. Ano passado foram inauguradas lojas atacadistas que geraram cerca de 900 empregos na cidade. Há um rótulo antigo de cidade dormitório. A Prefeitura vai contratar a FGV para fazer um estudo na região de Guaxinbiba, que a gente acredita muito no potencial”, acrescentou.

Segurança

Recentemente, a cidade anunciou nova ampliação do Segurança Presente, com mais 150 PMs por dia nas ruas, somando 324. Douglas Ruas afirmou que uma cidade segura é fundamental para atrair investidores. Uma das bandeiras de campanha do prefeito Capitão Nelson, quando era candidato, foi a retirada de barricadas. O trabalho tem sido feito pelo 7º BPM (São Gonçalo), em parceria com o Muni9cípio. O ex-secretário aponta que a instalação de câmeras de segurança, ligadas ao centro de monitoramento, serão cruciais para evitar que as obstruções em vias públicas sejam recolocadas.

“Acompanhei, na minha última semana de gestão, a instalação de câmeras do centro de monitoramento. Os indicadores são os menores desde 2004. A questão da violência está diretamente ligada a afastar os investidores da cidade. Em fevereiro a ciade teve a menor redução do estado. Na questão das barricadas o trabalho está sendo feito em parceria entre o 7º Batalhão e a Prefeitura. A gente acredita que o grande avanço vai ser o auxílio do centro de monitoramento”, destacou.

Cenário político

O ano de 2022 terá eleições para presidente da República, governador, senador, deputado federal e deputado estadual. Ruas frisou a importância de uma cidade com 1 milhão de habitantes eleger representantes do próprio município. Douglas revelou que pretende concorrer à uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

“São Gonçalo é o segundo maior colégio eleitoral do Estado. Em 2018, tivemos um resultado ruim. A cidade não elegeu nenhum deputado estadual. É inadmissível. A gente sabe o quanto é importante ter essa representatividade. O prefeito pretende liderar esse movimento e fazer com que a população se reúna em torno de candidatos da cidade. Nesse período de eleição a gente percebe a movimentação de muitos candidatos que não são daqui”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.