Dois corpos são resgatados pela marinha

Raquel Morais –
Geovanne Mendes –

Os dois corpos dos pescadores (de Niterói e São Gonçalo) que estavam desaparecidos desde o naufrágio na última quarta-feira (08), no mar de Angra dos Reis, já se encontram no Instituto Médico Legal (IML) de Niterói, no Barreto. AS vítimas foram resgatadas na tarde de segunda (13) por equipes de salvamento a 120 quilômetros do local do naufrágio. Familiares já reconheceram os corpos na manhã desta terça (14).

As buscas permanecem de forma ininterrupta, desde quinta-feira (9), quando a marinha tomou conhecimento do incidente. O Navio-Patrulha “Macaé” está realizando buscas no local, inclusive durante a madrugada, utilizando radares e busca visual. As aeronaves da marinha e da Força Aérea Brasileira (FAB) também participam das ações além de embarcações que transitam na região, foi feita uma varredura de Guaratiba (RJ) até a Ilha de São Sebastião (SP).

A estudante Laís Carvalho, de 16 anos, é filha de um dos cinco desaparecidos no naufrágio, o pescador João Manoel Martins Moreira, de 52 anos, e disse que a situação está cada vez ficando pior. Segundo a jovem, ela não consegue mais ir à escola por falta de concentração e tensão, e a mãe está à base de remédios. “Minha mãe não está conseguindo comer e isso está nos deixando preocupados também. Essa angústia está matando a gente. Queremos encontrar logo o meu pai com vida. Mas caso ele não tenha sobrevivido, queremos dar um enterro digno para ele”, comentou a moradora de São Gonçalo.

Familiares dos desaparecidos reclamam da falta de comunicação entre a Marinha e eles.

Em nota a marinha informou que o Salvamar Sueste, estrutura orgânica responsável por ações de Busca e Salvamento no mar, emitiu Aviso aos Navegantes para que outras embarcações que se encontrem na região do naufrágio possam apoiar as buscas. As causas e responsabilidades do ocorrido estão sendo apuradas em Inquérito instaurado já pela MB.

Além do João Manoel Martins Moreira, estão desaparecidos João Manuel Mendonça de Abreu, José Alves da Silva, João Perestrero e Márcio Braga.

DETALHES DO ACIDENTE
Dezoito tripulantes da embarcação pesqueira “Nossa Senhora do Carmo I”, sobreviveram ao naufrágio da última quarta-feira. O barco tinha 23 pessoas a bordo e estava na região de Angra dos Reis (RJ), a cerca de 70 km da Ilha Grande, após período de pesca no litoral Itajaí, em Santa Catarina. O grupo foi resgatado pela embarcação “Costa Amêndola” e levados até o porto da Ilha da Conceição na noite de quinta-feira, 9. Segundo nota no momento do desembarque uma equipe da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro (CPRJ) foi até o local prestar apoio aos resgatados, que estavam bem de saúde, apenas com ferimentos leves, e foram atendidos por ambulâncias do Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que estavam no local do desembarque. As causas e responsabilidades do ocorrido serão apuradas em inquérito instaurado pela Marinha do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 10 =