Dia Mundial do Rock lembra nomes da Região Metropolitana que marcam o estilo musical

O Dia Mundial do Rock é comemorado nessa segunda-feira (13) mas o estilo musical é vivido 365 dias por ano pelos amantes do rock, afinal para músicos e produtores do gênero ‘todos os dias são dias de rock bebê’. E na cidade de Niterói e Maricá, por exemplo, a pandemia não deixou as celebrações físicas acontecerem mas artistas da cidade reverenciaram o rock e contaram um pouco sobre uma verdadeira filosofia de vida.

O niteroiense Leonardo Rivera criou e lançou o selo fonográfico Astronauta em 1999 após adquirir experiência em A&R e Label Manager no Departamento Artístico da PolyGram (hoje Universal Music). E por isso o rock está em sua vida já que a gravadora é especializado nesse estilo musical. “A cidade de Niterói tem muitos nomes desse gênero e alguns lendários que devem ser sempre lembrados e enaltecidos”, frisou. Rivera citou a primeira banda de rock psicodélico de Niterói que fez sucesso em todo o Brasil: Os Lobos. O lendário Dalto, ex-integrante da banda, resumiu que ‘todo dia é dia de rock’. “Desde 1982 eu estou na estrada e para a galera mais nova eu deixo o recado para eles terem alguma utopia, esta faltando uma utopia e um sonho”, resumiu.

Também sucesso no cenário hard rock o Paul Rock se reinventou na quarentena da pandemia do coronavírus e não deixa de celebrar o rock todos os dias. Lançou um clipe que é uma releitura do Raul Seixas, Por Quem Os Sinos Dobram, além de algumas lives tocando o que há de melhor no MPB rock e também influências internacionais dos anos 70 como Beatles e Led Zeppelin. “Quem gosta de rock é fã todo dia mas é importante ter um dia de comemoração para valorizar esse ritmo musical tão contagiante e que transmite muita emoção”, contou Paul que tem 51 anos e mora em Maricá. “Fiz o clipe em alguns lugares de Maricá sem pessoas na rua e com todos os cuidados para evitar contaminação. Ficou um trabalho lindo”, completou.


De uma geração mais jovem a banda niteroiense Gravina foi lançada em 2017 e o fundador, Rodrigo Gravina de 33 anos, se inspira muito no rock nacional para seu trabalho. Para comemorar a data uma live no próximo dia 18 às 21h já está marcada no instagram da banda (@gravina). “Um dia de comemoração do rock é para celebrar mas também para mostrar como nós músicos estamos sofrendo com essa pandemia. Somos diretamente afetados e nunca pensamos passar por uma situação dessa. Viva o rock brasileiro! Temos que valorizar o que o país tem de melhor e por isso só tocamos músicas nacionais”, frisou o vocalista que divide palco com Neryno Paulo na guitarra, Leandro Batista no Contra-Baixo e Gabriel Dias na Bateria.

ENTENDA A DATA

De acordo com o Portal Brasil Escola o dia 13 de julho é conhecido em nosso país como o Dia Mundial do Rock, uma data separada para comemorar esse que é um dos estilos musicais mais conhecidos do mundo e que foi muito popular entre as décadas de 1950 e 1980. Apesar do termo “Mundial”, essa data comemorativa não é internacional. Além do estilo, homenageia-se também os músicos que dedicaram (e dedicam) suas vidas ao rock. Hoje o rock não é necessariamente o estilo musical mais popular do planeta, mas, ainda assim, possui milhões de fãs por todo o mundo, e isso não é diferente no Brasil. Esse estilo musical surgiu na passagem da década de 1940 para a década de 1950 nos Estados Unidos. O rock veio, principalmente, da influência da cultura afro-americana, que, na época, dominava o cenário musical dos Estados Unidos com o jazz e o rhythm and blues. O country and western, muito popular entre a população branca, também contribuiu para o surgimento do rock.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − oito =