Dia Mundial do Pão reforça consumo do alimento sagrado

Raquel Morais –

Ele pode ser grande, pequeno, quadrado, redondo, comum ou incrementado. Pode ser comido frio, quente e até mesmo morno. É um divisor de águas quando o assunto é saúde e prazer. Estamos falando do Dia Mundial do Pão, que é tão importante para os brasileiros que, além de ser considerado um alimento sagrado, tem um dia só dele. Nesta segunda-feira (16), é dia de prestar muita homenagem e se deliciar com todos os tipos e recheios que ele pode agregar: francês, branco, integral, de leite e muitos outros tipos.

Pão

Quando o assunto é escolher qual o melhor pão a briga é de cachorro grande, mas não tem como ganhar do famoso pão francês. A Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip) afirma que ele é o campeão na mesa dos brasileiros. Seguido do branco, integral e de leite segundo informações da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi). De acordo com a nota, no Brasil, as versões industrializadas têm conquistado mercado por sua praticidade e tempo maior de vida útil e já estão presentes em 73,6% dos lares do país. Minas Gerais, Espírito Santo e interior do Rio de Janeiro são responsáveis pelo consumo de mais de 77 mil toneladas do alimento ao ano, sendo 53,8% do tipo tradicional/branco, 13,5% os integrais e 8,7% de leite.

Na padaria Estúdio do Pão, em Icaraí, o campeão de vendas é o pão na chapa que custa R$ 2,90, misto quente de pão branco que custa R$ 8,90, queijo minas com peito de peru no pão integral que é vendido por R$ 8,90 e o pão de leite com queijo processado que custa R$ 3,90. A niteroiense Naira Ribeiro, 32 anos, é adepta ao famoso pão francês com manteiga e café, mas para por questões de saúde, opta pelo pão integral durante a semana e deixa o queridinho para o final de semana. “Com o objetivo de atender os mais diversos públicos, os fabricantes estão sempre se atualizando e inovando seus produtos. A nova geração de consumidores, que está cada vez mais informada, consciente, exigente e atenta às questões que envolvem saúde, bem-estar e praticidade, trouxe diversos desafios à indústria alimentícia. Neste cenário, especificamente os pães puderam ampliar seu espaço nas gôndolas com novas linhas voltadas às questões de saudabilidade”, reforçou Claudio Zanão, presidente-executivo da Abimapi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 3 =