Dia Internacional de Atenção à Pessoa com Lúpus com celebração no MAC

O dia 10 de maio é o Dia Internacional de Atenção à Pessoa com Lúpus e todo ano muitas cidades promovem ações para lembrar não só a data, mas como o mês, considerado o “Maio Roxo”. Em Niterói não será diferente e esse ano o lema da campanha será: “Eu luto pela atenção aos direitos de pacientes com Lúpus”. Nessa segunda-feira o Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC) será iluminado de roxo às 18h em forma de chamar atenção para a doença que acomete 65 mil pessoas só no Brasil, e tem tratamento, apesar de não ter cura.

O presidente da Comissão Científica de Lúpus da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), Edgard Reis, explicou que a doença pode se manifestar através de vários fatores, desde genéticos até hormonais que influenciam na imunidade. “Ou seja, o próprio indivíduo começa a produzir anticorpos, células, moléculas que vão atacar o próprio organismo. Em vez de atacar vírus e bactérias, acabam por atacar o próprio organismo também. Mas tem um bom controle. Não existe um remédio que vai estabelecer uma cura específica, ao contrário do que ocorre com a pneumonia, por exemplo”, frisou.

Karla Barcellos é referência no assunto não só na cidade, mas em todo o Estado. “A questão da pandemia prejudicou os pacientes com Lúpus. Os pacientes foram negligenciados por falta de informação. Quanto menos informação existe mais negligência acontece. Os pacientes poderiam morrer por falta da cloroquina, os ambulatórios ficaram fechados, muitos pacientes foram óbito e tiveram Covid gravíssima. Hoje temos que chamar atenção para a doença e tomei a vacina contra a Covid no dia 10 [hoje]. Estou muito emocionada. Dar rosto e vozes para essas pessoas que estão lutando por diretos que são delas”, frisou Karla que tem 47 anos e há 11 recebeu o diagnóstico da doença, e é fundadora do coletivo Anjos da Rua.

De acordo com nota o lúpus é uma doença reumática, crônica, que afeta principalmente mulheres entre 15 e 45 anos de idade, período compreendido, em geral, após a primeira menstruação e a pré-menopausa. Pacientes com lúpus têm mais chance de ter aumento de peso, mais risco de ter obesidade e síndrome metabólica, quando ocorre aumento da pressão, diabetes, problemas de colesterol, o que oferece mais risco cardiovascular.

Edgar reforçou ainda a importância da data ser lembrada. “Porque não é uma doença que é bem divulgada na mídia. Então, é importante para que as pessoas entendam que ela existe, quais os principais sintomas, visando à realização de um diagnóstico precoce da doença, para melhora do tratamento e do desfecho a longo prazo. Essa conscientização é importante também para que os parentes do doente entendam do que se trata”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × três =