Dia dedicado a Frei Galvão em Niterói

Raquel Morais –

Nesta quarta-feira (25) é comemorado o Dia de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão, mais conhecido por São Frei Galvão, o primeiro santo católico brasileiro. A festa em Niterói será na capela Nossa Senhora da Conceição, no Centro, com uma missa às 18h30min. Os fiéis, além de participarem da celebração, vão receber as tradicionais pílulas milagrosas e poderão rezar o terço das famílias.

Para a Igreja ‘essa missa especial faz parte do calendário mensal fixo da capela, acontecendo todas as últimas quartas-feiras do mês. E, após a missa, acontecerá um momento de união e oração com o terço das famílias’.

A dona de casa Ana Cristina da Costa, de 61 anos, é devota de Frei Galvão e esteve em seu santuário em São Paulo em agosto desse ano. “Consegui pegar as pílulas que eles oferecem e tomei. Elas são distribuídas gratuitamente e devem ser tomadas através de uma novena. São muito poderosas e só quem tem fé entende e acredita”, pontuou a niteroiense.

A missa será celebrada pelo frei José Goretti Pio e mais de 300 pílulas serão oferecidas para os fiéis.

SOBRE FREI GALVÃO
Sereno e dadivoso, sempre voltado para o bem dos outros, Frei Antônio de Santana Galvão é posto pelo Papa Bento XVI como modelo para os cristãos brasileiros. Santo Antônio de Sant’Ana Galvão, mais conhecido como Frei Galvão (Guaratinguetá, 1739 – São Paulo, 23 de dezembro de 1822) foi um frade católico e primeiro santo nascido no Brasil. Em 1998, Frei Galvão foi beatificado pelo Papa João Paulo II, dele recebendo os títulos de Homem da Paz e da Caridade e de Patrono da Construção Civil no Brasil. De seu processo de beatificação constam 27.800 graças documentadas, além de outras consideradas milagre. Frei Galvão foi Canonizado pelo Papa Bento XVI em 11 de maio de 2007, durante a visita do pontífice ao Brasil. A comprovação oficial e o anúncio foi feito em 16 de dezembro de 2006.

PÍLULAS DA FÉ
Segundo a Igreja, ‘certo dia, Frei Galvão foi procurado por um senhor muito aflito porque sua mulher estava em trabalho de parto e em perigo de perder a vida. Frei Galvão escreveu em três papelinhos o versículo do Ofício da Santíssima Virgem: Pos partum Virgo, Inviolata permansisti: Dei Genitrix intercede pro nobis (Depois do parto, ó Virgem, permaneceste intacta: Mãe de Deus, intercedei por nós). Deu-os ao homem, que por sua vez levou-os à esposa. A mulher ingeriu os papelinhos, que Frei Galvão enrolara como uma pílula, e a criança nasceu normalmente. Caso idêntico deu-se com um jovem que se estorcia com dores provocadas por cálculos visicais.

Frei Galvão fez outras pílulas semelhantes e deu-as ao moço. Após ingerir os papelinhos, o jovem expeliu os cálculos e ficou curado.

Esta foi à origem dos milagrosos papelinhos, que, desde então, foram muito procurados pelos devotos de Frei Galvão, e até hoje o Mosteiro fornece para pessoas que têm fé na intercessão de Servo de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 7 =