Dia de Santo Expedito reúne fiéis atrás de causas impossíveis em Niterói

Pedro Conforte –

A Capela de Santo Expedito, no Fonseca, em Niterói, ficou pequena, nesta quinta-feira (19), para o volume de fiéis que levaram suas orações no dia do santo que dá nome a capela. Conhecido por atender causas impossíveis e urgentes, muitos subiram a ladeira da Rua Lopes da Cunha atrás de redenção e agradecimento. Todas as missas ao longo do dia foram tomadas por lágrimas e agradecimentos.

“Eu cresci nessa igreja, para falar a verdade eu nasci aqui. Meu pai foi um dos responsáveis pela construção dessa capela. Desde os meus doze anos tocava o sino para chamar a catequese. Todo ano eu venho, não falto um ano o dia de Santo Expedito. Ele atendeu muitas graças pra mim, ele é meu Santo Guerreiro”, contou Rosa Flores, de 81 anos, que lembrou que essa capela de Niterói é a primeira do Brasil dedicada ao santo, inaugurada em 1902.

A tradicional Alvorada anunciou o dia de festejos, seguida de missas ao longo das primeiras horas da manhã. Pela noite, centenas de fiéis se reuniram numa procissão luminosa, que percorreu várias ruas do bairro da Zona Norte, com palavras de fé e muitos louvores. Há mais de 10 anos, a família de Maria da Piedade, de 71 anos, se reúne e sobe a ladeira para a Capela de Santo Expedito, e todo ano sua mãe, Lucia Ferreira, de 91 anos, fez questão de estar presente. Segundo ela, “enquanto tiver forças nas pernas irá prestar sua homenagem a Santo Expedito”.

“Ele atendeu muitas graças da minha família. Meu filho foi atropelado e ficou muito mal, rezei para Santo Expedito com toda minha fé e hoje meu filho está com uma saúde perfeita. Todo ano a gente vem para agradecer as graças e os livramentos que ele nos proporciona”, contou Maria da Piedade.

Há ainda quem veio de mais longe, do Rio, apenas para rezar na Capela de Santo Expedito. Waltenir Barta, de 84 anos, saiu das Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, e foi até o Fonseca apenas para rezar no dia do santo. “Nossa família nasceu e cresceu aqui no bairro. Agora que saímos, todos os anos, no dia Santo Expedito, nos reunimos para rezar e ficar junto. Somos todos devotos de Santo Expedito e continuaremos vindo aqui pelos próximos anos das nossas vidas”, contou.

História do Santo
Expedito era chefe da Legião Romana numa das províncias romanas da Armênia. Ocupava esse alto posto porque o imperador Diocleciano tinha-se mostrado, no começo de seu reinado, favorável aos cristãos, confiando-lhes postos importantes na administração e no exército. Expedito designa o chefe Legião Romana, martirizado com seus companheiros no dia 19 de abril de 303, sob as ordens do imperador Diocleciano. Seu nome, qualquer que seja a origem de sua significação, é suficiente para ser reconhecido no mundo cristão, pois condiz com a generosidade e com o ardor de seu caráter, que fizeram desse militar um mártir.

Conta-se que, assim que resolveu se converter, uma tentação se manifestou em forma de corvo. O animal gritava “Crás! Crás!”, que significa em latim “Amanhã! Amanhã!”. O que se esperava era que ele adiasse o batismo, mas Expedito teria pisoteado o corvo e gritado, de volta: “Hodie! Hodie!”, ou seja “Hoje! Hoje!”. E assim agiu. Santo Expedito também é conhecido como padroeiro dos militares, dos estudantes e dos viajantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 2 =