Dia das Mães com tecnologia para vencer a distância

No domingo (10) é comemorado o Dia das Mães e por causa da pandemia, esse ano a celebração será diferente. Em época de isolamento social, muitas mamães estão usando – e abusando – da tecnologia e apostando nessa aproximação virtual para minimizar a ausência física dos filhos e netos.

A professora Milena Freire, de 46 anos, é um desses exemplos de famílias que vão usar a tecnologia para aproximar no domingo do Dia das Mães. Ela, que já tem o hábito de usar o sistema de videoconferência para se comunicar com a mãe, vai ficar junto com os quatro filhos e celebrar: José Vitor de 22 anos, Bruno de 18 anos, Larissa de 15 anos e Davi de 5 anos.

“Vou fazer um vídeo com minha mãe e considero isso um ato de amor. É uma experiência diferente e vamos nos adaptar”, contou.

A aposentada Jane Castro, 72 anos, mãe de Milena, disse que está se sentindo bem e tranquila.

“Temos que viver a realidade e não podemos querer estar junto na presença das pessoas. Vou ficar afastada das minhas filhas e netos pela primeira vez. Depois de tantos anos juntos a gente vai sentir falta, mas devemos analisar que o período que estamos vivendo nós temos que enfrentar. Precisamos viver assim e precisamos colaborar e temos que evar isso muito a sério”, explicou a niteroiense moradora de Icaraí.

O mesmo está acontecendo com a psicóloga Camila Quintanilha, de 35 anos, que é filha da aposentada Selma, de 63 anos. Ela trabalha no Hospital Luiz Palmier, no Centro de São Gonçalo, e está há mais de 40 dias sem ver a mãe.

“Nos falamos rapidinho durante o dia e também quando chego em casa. Estou na linha de frente no atendimento de pacientes com o coronavírus e seus familiares, não posso ver minha mãe. Mas encaro isso não como uma questão de isolamento e sim de cuidado. E um ato amor”, contou emocionada.

Para a psicóloga Tânia Melo, as tecnologias tendem a abrandar o sentimento de frustração pelo o impedimento do encontro de muitas mães e filhos.

“É uma situação nova e desafiadora. Em tempos de clausura tudo se torna mais sensível. As reuniões de família, aqueles almoços, vão ter de ficar em segundo plano. Isso pode causar muita frustração e mal estar emocional nas pessoas. Por isso, as redes sociais serão o grande canal para que todos externem seus sentimentos e possam ter um contato com suas mães e filhos numa data tão marcante”, contou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 4 =