Dia da Beleza em Piratininga será em prol do desaparecimento da menina Polyanna

Raquel Morais

No próximo domingo, 6, a partir das 10h, será realizado o ‘Dia da Beleza Juntos por Polyanna’, em Piratininga, na Região Oceânica. O evento será para arrecadar fundos para ajudar a família da menina, desaparecida desde 2 de abril de 2015, a contratar um detetive particular. A mãe da criança, Marcele Silvério Moreira da Silva, 35 anos, acusa a Polícia Civil de não dar atenção ao caso, por isso a necessidade da família tentar achar a garota por meios próprios. Para o próximo dia 7 de setembro, onde se comemora a Independência do Brasil, a niteroiense também informou que fará uma manifestação às 10h em frente às Barcas, no Centro de Niterói.

Na ação serão oferecidos serviços de corte de cabelo, escova, maquiagem e manicure além de bazar, rifa e sorteio de prêmios, como um jogo de panelas Top Line, por exemplo. Para os pequenos terão atividades como pula pula, piscina de bolinha e brincadeiras diversas, além da venda de doces e salgados. A renda captada será usada para a dona de casa contratar um detetive particular, que custa entre R$ 20 e R$ 25mil. “Tenho essa esperança todos os dias quando durmo e quando acordo. Eu procuro minha filha todos os dias, fico andando por diversas ruas com a blusa com a foto dela. Também entrego panfletos falando sobre o desaparecimento dela. Eu preciso encontrar a minha filha e a polícia não está dando atenção para esse caso”, desabafou. Em nota a Polícia Civil se limitou a dizer que “a investigação encontra-se em andamento na Delegacia de Homicídios de Niterói/ São Gonçalo (DHNSG). No momento, não há atualização a divulgar”.

Segundo Marcele a última informação que teve sobre o paradeiro da filha é que ela teria sido vista em Inoã, distrito de Maricá. “Eu recebi uma ligação anônima falando que viram minha filha com uma senhora. Me enchi de esperança, liguei para a delegacia e contei essa novidade. Eles simplesmente pegaram as imagens das câmeras de segurança do dia errado. Um mês depois perceberam o erro, e as imagens já não existiam mais. Eu não aguentei e fui em Inoã, no Centro, andei por muitas ruas, mas não achei minha Polyanna”, contou emocionada.

Em meio esperança de encontrar a filha com vida, existe também a tristeza de receber trotes com informações mentirosas. “Todas as ligações que recebo eu mesma tento investigar. Mas tem gente que faz de pura maldade ligações a toa. Estão machucando uma mãe que já está despedaçada, uma mãe que não está vendo a filha crescer, uma mãe que tem um vazio no peito”, lamentou.

Polyanna Ketelin da Silva Ribeiro, 12 anos, sumiu no dia 2 de Abril na Rua Chico Xavier próximo à Avenida Almirante Tamandaré, na Região Oceânica, por volta das 22h, na comunidade Ciclovia. Ela teria saído de casa para comprar fósforos e doces para sua mãe e usava short jeans e uma blusa laranja. A menina cursava a 3ª série no Colégio Municipal Mar Alegre, no Cafubá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 − 1 =