DH segue investigando morte de motorista de aplicativo

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG) continua as investigações sobre a morte do motorista de aplicativo Marcos Eduardo da Silva, de 23 anos, no último dia 6, em São Gonçalo. Neste sábado (13), novas diligências estão programadas para tentar encontrar pistas sobre os envolvidos.

O principal objetivo, agora, é encontrar imagens de câmeras de segurança que tenham flagrado a movimentação dos assassinos. O que se sabe, até o momento, é que Marcos foi assassinado, durante a madrugada, enquanto fazia uma corrida. A linha de investigação mais forte é a de latrocínio. Depoimentos de testemunhas também já foram colhidos.

Uma das declarações foi da mulher de 24 anos, que era a passageira levada por Marcos no momento da abordagem, na Avenida Joaquim de Oliveira, no Porto da Pedra. A testemunha, que foi atingida na perna, confirmou que a abordagem ao automóvel, modelo Fiat Grand Siena, foi feita por dois criminosos em uma motocicleta.

Ainda de acordo com a especializada, a irmã da moça baleada também estava no automóvel e foi ouvida. Segundo relatos iniciais de testemunhas à polícia, ele guiava um Fiat Siena quando foi abordado por dois bandidos, que estavam armados em uma moto. O motorista acelerou o carro e isso teria feito com que os criminosos atirassem.

A polícia informou que Marcos morreu no local e a passageira atingida foi levada para o Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), no Colubandê, pelo Corpo de Bombeiro. Segundo a direção da unidade, o estado de saúde da paciente era estável, no momento do atendimento. O corpo de Marcos foi sepultado no domingo passado (7), em São Gonçalo.

Indicadores

Embora São Gonçalo tenha dificuldades no que diz respeito à violência, casos de latrocínio são raros na cidade. De acordo dados mais recentes do Instituto de Segurança Pública (ISP), os indicadores são relativamente baixos para uma cidade com população superior a 1 milhão de habitantes.

Entre janeiro e setembro deste ano, foram contabilizados sete casos do tipo na cidade, mesmo número registrado dos nove primeiros meses de 2020. Em setembro deste ano, nenhum caso foi contabilizado. Já no mesmo mês, no ano de 2020, foi contabilizado um caso. Os dados também são do ISP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × dois =