DH promete rigor para esclarecer a morte do adolescente em São Gonçalo

Para esclarecer mais detalhes sobre a morte do adolescente João Pedro Matos Pinto, durante uma operação conjunta das polícias Federal e Civil, na segunda-feira (18), a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) vai ouvir, entre outros, os depoimentos dos pilotos da Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil (Core), que socorreram a vítima durante a operação realizada no Complexo do Salgueiro, que culminou com a morte de João.

Segundo informações, o jovem foi inicialmente socorrido e levado de helicóptero para a base do Serviço Aeropolicial (SAER) da Core, na Zona Sul do Rio (no bairro da Lagoa), e de lá seria levado para Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas a morte do rapaz teria sido constatada antes disso e logo depois o corpo de João foi levado para o IML de Tribobó, pelo Corpo de Bombeiros.

As investigações tem por objetivo esclarecer várias perguntas sobre a ação policial, inclusive de onde teria partido o tiro que matou João Pedro. “Vamos ouvir os pilotos. Inicialmente eles disseram que seguiram uma decisão de campo adotada por um protocolo padrão. Queremos saber que protocolo é esse: se é por causa da limitação da aeronave ou por causa da autorização do espaço aéreo”, informou Allan Duarte.

Em apuração…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =