DH prende suspeito de participação na morte de diretor executivo do Heat

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá, prenderam ontem um dos suspeitos de envolvimento no assassinato do então diretor executivo do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat) localizado no bairro do Colubandê em São Gonçalo e referência como unidade de saúde para tratamento de traumas. Sem dar maiores detalhes sobre o caso para não atrapalhar as investigações, o delegado titular da especializada, Bruno Cleuder, disse estar na busca pelos demais envolvidos no crime.

“Nós estamos empenhados. Um dos suspeitos foi preso, porém descer à minúcia (divulgar maiores informações) pode nos atrapalhar a pegar os demais envolvidos”, disse o titular.

José Dídimo do Espírito Santo Costa, também policial federal aposentado, foi morto a tiros na noite do dia 4 de outubro na RJ-104, altura no Caramujo, em uma aparente tentativa de assalto. Policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) foram acionados até o local e fizeram a guarda do corpo até a chegada de agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG). A especializada investiga o caso e deu início ao processo de obtenção das imagens de câmeras de seguranças instaladas no decorrer do trajeto feito pela vítima no dia seguinte ao crime.

De acordo com informações preliminares apuradas a respeito do caso, os autores do crime seriam quatro homens armados em um Voyage cinza que teriam fechado o carro do ex-policial que teria desembarcado com arma em punho e sido atingido por disparos efetuados pelos criminosos. O bando teria fugido ao escutar o barulho de sirenes da polícia.

O sepultamento do diretor aconteceu no dia seguinte (5) à tarde na Arquiconfraria Nossa Senhora da Conceição, no Barreto, Niterói. A cerimônia foi restrita a familiares e amigos. O corpo da vítima chegou a ser levado anteriormente para o Instituto Médico Legal (IML) do Barreto. A vítima manteria vínculo com a Lagos Rio, antiga gestora do Heat até o dia 11 de outubro, mas seria contratado junto de outros demais colaboradores pelo Instituto de Desenvolvimento, Ensino e Assistência à Saúde (Ideas), organização social que atualmente administra a unidade de saúde, de acordo com nota divulgada pela mesma na ocasião. Na declaração desejou força e se comprometeu a fornecer apoio no que fosse possível à família do diretor.

A PF informou em nota divulgada na época que o servidor ingressou na Polícia Federal no ano de 1990 e se aposentou em 2012, tendo como última lotação a Delegacia de Polícia Federal em Niterói. A PF também declarou no informativo suas condolências e solidariedade aos familiares e amigos enlutados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.