DH perto de elucidar assassinato de policial civil em Venda da Cruz

“A investigação está bem adiantada, tudo leva a crer que chegaremos no autor”. Sem adiantar detalhes sobre a investigação, para não atrapalhar as diligências que estão sendo realizadas, o delegado Paulo Roberto Gomes, da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), deixou claro que está avançado o trabalho visando elucidar a morte do policial civil Mauro Azevedo da Silva, de 50 anos, ocorrido na madrugada do último dia 1º, no bairro Venda da Cruz, em São Gonçalo. O policial, que também era um empresário no ramo de segurança privada, foi morto a tiros, na Rua Dr. Porciúncula, após uma briga. As causas ainda são desconhecidas, pelo menos para os muitos amigos, familiares e companheiros de trabalho.

“As respostas atrapalharia a investigação nesse momento e mais à frente esclareceremos as questões”, resumiu. O trabalho policial segue em sigilo e o esclarecimento sobre o que teria realmente ocorrido, permanece sendo apurado e com pouquíssimas informações divulgadas. De acordo com informações que serviram como ponto de partida para a DHNSG, além de discutir com o próprio assassino (que desembarcou de um veículo), Mauro ainda teria brigado com pelo menos mais duas pessoas e mantido contato com um mototaxista e um passageiro, que estavam próximos da cena do crime.

Embora a especializada não tenha confirmado textualmente a realização desse procedimento, essas duas últimas testemunhas teriam prestado depoimento na sede da DHNSG, segundo fontes policiais. Além dos depoimentos, também foram analisadas imagens registradas por câmeras de segurança instaladas próximos do local do crime. Após uma discussão, Mauro foi atingido por vários tiros pelas costas e até as amostras de munições deflagradas foram recolhidas para trabalho pericial.

Mauro deixou mulher e dois filhos, e fazia parte de uma família com duas gerações de policiais civis, já que o pai e dois irmãos da vítima também são ligados à mesma corporação. No ramo empresarial, Mauro se especializou na administração de uma empresa de terceirização de serviços na área de segurança e vigilância patrimonial, que lhe rendeu reconhecimento pelo bom trabalho e progresso. Na Câmara Municipal de São Gonçalo, Mauro fazia parte do corpo de Segurança do alto escalão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =