DH investiga se corpo carbonizado é de militar desaparecido

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG) investiga se um corpo encontrado carbonizado, dentro de um carro, é do fuzileiro naval Matheus Filipe, de 24 anos. O militar, que mora em São Gonçalo, está desaparecido desde a última quinta-feira (11).

Segundo as primeiras informações da especializada, o corpo foi encontrado, no domingo (14), na Rua Libânio Ferreira Porto, bairro Monjolos, em São Gonçalo, numa área pouco habitada. Os restos mortais foram removidos ao instituto Médico Legal (IML) da cidade, onde passarão por exame de DNA a fim de confirmar sua identidade.

De acordo com a Marinha do Brasil, o cabo Matheus Filipe se apresentou para servir no 1º Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais (1ºBtllnfFuzNav), após a conclusão de Curso de Especialização, sendo licenciado normalmente na quinta-feira. Desde a notícia de seu suposto desaparecimento, o Comandante do Batalhão mantém contato com familiares do militar e tem atendido às demandas da Polícia Civil, no intuito de colaborar com as investigações.

O setor de descoberta de paradeiros da DHNSG investiga o caso desde o registro do desaparecimento do rapaz. Familiares chegaram a divulgar, nas redes sociais, fotos de Matheus em busca de possíveis informações que levassem a seu paradeiro. Ainda não há notícias sobre as causas do possível crime ou os eventuais autores.

Caso semelhante

No dia 12 de junho, os militares do Exército Daniel Ferreira de Azevedo e Victor Hugo Xavier foram mortos, também em São Gonçalo. Os corpos foram encontrados carbonizados em um carro após os rapazes terem ficado dias desaparecidos. No dia 21 de janeiro, o Portal de Procurados do Disque Denúncia divulgou cartaz com a foto dos suspeitos.

De acordo com a investigação da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), os bandidos são Higor Gustavo Conceição da Silva, de 29 anos, André Luís dos Santos Affonso, o Pai da Alma, de 38, Douglas Vieira da Silva, o Flamengo ou Pochete, de 31, e Flávio Igor Correia, de 23. Eles teriam envolvimento com o crime organizado no bairro do Pacheco, onde aconteceu o crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =