Dezembro, o mês mais dramático: 73,2 mil casos com 2,7 mil óbitos

Jourdan Amóra

Se o total de casos registrados durante o ano em todo Estado do Rio fosse dividido igualmente para cada mês, a média seria abaixo das 42 mil ocorrências nos 10 meses e 20 dias do registro do primeiro caso. Dezembro, porém, até o amanhecer do dia 31, apontou 73.251 infeccionados. Na soma dos meses o Estado chegou a 434.648 casos, sobrecarregando as redes hospitalares e o estresse das equipes assistenciais.

O número final de óbitos alcançou 25.530 o que é equivalente ao total de habitantes de Miguel Pereira, a 58ª cidade mais populosa do Estado. Somente no mês de dezembro ocorreram 2.764 óbitos, uma média de 92 a cada dia.

Uma das maiores tragédias já ocorridas num mês de dezembro foi o incêndio no Gran Circus Norte Americano, em Niterói, com cerca de 500 mortes. O Hospital Antonio Pedro estava fechado e a insuficiência de Niterói levou São Gonçalo a criar espaço urgente onde hoje é o Cemitério São Miguel.

Quatro municípios com a metade dos casos

No dia 1º de dezembro o boletim oficial da Secretaria Estadual de Saúde registrava 361,3 mil casos, com a disparada liderança da capital do Estado. O Rio chegara a 140,8 mil, vindo a seguir Niterói com 18,6 mil; São Gonçalo, com 16,3 mil; e Duque de Caxias, 11,9 mil.

Abalado em casos fatais, o Rio aparecia com 13.34 mil. São Gonçalo com 859 e, vindo no quinto lugar, em óbitos, Niterói ficou com 592. O terceiro e o quarto lugares couberam a Caxias (848) e a Nova Iguaçu (750).

Já no dia 31 de dezembro (publicados em 1º de janeiro) os números indicavam um total de 434.648 casos com 25.530 vidas perdidas no Estado.

Os números referentes aos municípios ias afetados foram:

CASOS: Rio de Janeiro-165.979; Niterói-22.872; São Gonçalo-18.272 e Belford Roxo-14.046.

ÓBITOS: Rio de Janeiro, 14.860; São Gonçalo-1.018; Caxias-900; Nova Iguaçu-872 e Niterói, com 690.

OS MUNICÍPIOS COM MELHORES INDICADORES

A estatística oficial revela fatos conflitantes como a situação de um município com registro de um único ou de apenas dois óbitos, mas tendo registrados grandes números de pessoas infectadas. Esta era a situação de Varre Sai, que até o dia 1º lamentava três vidas perdidas em meio a 1.298 casos de infecção confirmados.

Veja a tabela daqueles posicionados como mais saudáveis no Estado:

Também registraram cinco casos: Bom Jardim, Carapebus, Cardoso Moreira, Levy Gasparian, Miracema, Santa Maria Madalena e Quatis, enquanto São Sebastião do Alto, Cantagalo e Carapebus registraram sete, um a mais em relação a Cambuci, Com oito casos figurou Natividade. Já Aperibé, Arraial do Cabo e Paulo de Frontin contabilizaram, cada um, nove vidas perdidas para a Covid 19.

Desigualdade matemática

Não há uma exata proporcionalidade na relação de casos de infecções e de falecimentos. Vejam três exemplos: Cordeiro registrou dois óbitos mas alcançou 1.070 confirmações de casos. Varre Sai, sofreu três óbitos em meio a 1.298 casos e Cantagalo somou seis mortes entre os 1.010 infectados no município. Trajano de Moraes, que perdeu uma vida, teve 188 infectados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 2 =