Dever de casa literalmente em Rio Bonito

A pandemia do coronavírus mudou a vida e a rotina de muita gente, principalmente dos pais e dos alunos da rede municipal de Rio Bonito, que estão sem aulas há mais de um mês. Como muitos estudantes estão em casa, os familiares tentam conciliar as tarefas domésticas com as atividades escolares que diariamente são enviadas pelos professores. Manter o aprendizado das crianças e adolescentes nesse período de isolamento, sem dúvida, é o grande desafio que os professores vêm enfrentando durante a quarentena. Muitos deles falam da dificuldade em produzir ou mesmo propor atividades pela internet, que mantenha o interesse dos alunos pelos estudos e evite a perda do desenvolvimento pedagógico.

Para vencer esse desafio, muitos professores estão se reinventando, aprendendo novas linguagens e estratégias para diminuir o distanciamento com os alunos.

“Mesmo nesse período de quarentena, a educação não para. Fomos desafiados para minimizar os efeitos da distância física e aproximar nossos alunos de novas formas de interação com a aprendizagem. Os professores estão se reinventado, aprendendo novas linguagens, como a edição de vídeo, por exemplo, para sairmos das salas de aulas e ultrapassamos obstáculos e fronteiras para levar esse ambiente virtual de troca de informações e experiência para dentro das casas dos nossos alunos”, explicou a professora do Rômulo Tude, Liliane Alves Nogueira Barbosa.

Mesmo com as escolas fechadas, a produção de conteúdos e atividades para os alunos da rede municipal não pararam nesse período de quarentena. Os diretores, coordenadores pedagógicos e professores seguem trabalhando e têm disponibilizado conteúdos por meio da plataforma digital e das redes sociais, para que o estudante não deixe de aprender.

“Estamos vivendo um momento um tanto quanto diferente em nossas rotinas diárias. Em tempo de Pandemia da Covid 19, temos que repensar e refazer todas as nossas rotinas como educadores e pais. Não é fácil! Penso que com o fim dessa pandemia, todos nós sairemos mais fortes”, afirmou a professora da escola municipal Maria Ferreira Carvalho, Vânia Almeida.

Como muitos estudantes estão em casa, os familiares tentam conciliar as tarefas domésticas com as atividades escolares. A rotina deve respeitar os horários que normalmente a criança segue no dia a dia. Caso estude de manhã, então deve reservar o horário matutino um espaço para as atividades escolares. Em relação as tarefas, o ideal é praticar aquelas que podem ser feitas em conjunto. O conteúdo deve seguir a mesma linha do que a criança está aprendendo na escola. A dinâmica dos vídeo-aulas preparadas pelos professores inclui as orientações das atividades que serão realizadas, além de sugestões de livros e filmes para completar o aprendizado.

“Seguimos uma rotina de estudos realizando as atividades no horário habitual das aulas, inclusive utilizando o uniforme da escola, explicou Angélica Cardozo Duarte Drumond, mãe da aluna do Barãozinho, Julia Drumont, que acessa o conteúdo enviado pela professora na parte da manhã.

Para o professor Elcio Nunes, todos sairão mais fortalecidos quando a pandemia terminar.

“É uma sensação estranha, diferente e desafiadora para um professor trabalhar à distância, longe de seus alunos e colegas. Sem ter o contato humano que nós brasileiros nos acostumamos. Deus queira que isso passe logo e possamos retomar a nossa rotina que tanto amamos: estar com nossos queridos alunos”, garante o professor.

DISTRIBUIÇÃO DE KITS

A Secretaria de Educação de Rio Bonito vai distribuir kits de merenda para alunos. A estratégia a ser usada para essa distribuição foi discutida em uma reunião que aconteceu na sede da pasta ontem. Foi acordado que itens como arroz, feijão, óleo, fubá, leite, achocolatado e biscoito serão entregues nas casas dos alunos. A triagem para essa distribuição foi feita pelos próprios diretores das escolas municipais, com a ajuda de profissionais da Secretaria de Promoção Social.

Além da Secretária de Educação, Wanderlúbia Antunes, a reunião teve a participação de vereadores da Comissão de Educação da Câmara dos Vereadores, Dilon Ferreira e Marlene Pereira; da presidente do Conselho de Alimentação Escolar, Vera Rodrigues; do Secretário de Promoção Social, Vinícius Carvalho; de representantes do setor de merenda da Prefeitura Regina Demier; da responsável técnica da merenda escolar, a nutricionista Daniele Azevedo; e das representantes do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), Gilsara Terena e Marta Silva.

A secretária de Educação, Wanderlúbia Antunes, explicou que só agora essa distribuição poderá ser feita porque somente no dia 7 deste mês, o governo federal, através de uma lei, deu aval para que a merenda adquirida com o dinheiro do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), pudesse ser dada aos alunos fora do ambiente escolar.

“Diante de tantas incertezas, temos que agir de forma correta e legal. Tivemos que esperar a lei ser sancionada, para buscar a melhor forma de atender os alunos. Espero que esse kit possa ajuda-los”, disse Wanderlúbia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + cinco =