Desconfiança sobre contratos

Wellington Serrano

A empresa Milano, uma das citadas em delação premiada pelo ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado Jonas Lopes como canal para transferências de propinas no esquema de fraude nas quentinhas para presídios do Rio de Janeiro, mantém contratos com a Prefeitura de Búzios, no período em que André Granado (PMDB) comanda o Executivo municipal.

As informações são do blog do Lauro Jardim, que noticiou ontem que “Jonas Lopes, o ex-presidente do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro, cita em sua delação premiada, ao descrever o esquema de fraude nas quentinhas para presídios do Rio, as empresas Denjud, Cor e Sabor, Prol, Sublime, Masan, Home Bread, Comercial, Milano, Magov e Galley”.

O nome da Milano (Comercial Milano Brasil Ltda) aparece no relatório final da CPI do BO como uma das 21 empresas beneficiadas com as fraudes nos Boletins Oficiais de capa dupla. Ela ganhou contrato (processo administrativo nº 5264/2013) originário do Pregão Presencial nº 025A da Secretaria de Educação para “aquisição de gêneros alimentícios para as escolas da rede municipal” (as informações podem ser encontradas no BO nº 601, de 19/09/2013). Segundo informações, e continua fornecendo merenda para as escolas de Búzios até hoje.

Na tarde de ontem o link da notícia foi postada nas redes sociais e imediatamente obteve várias curtidas, além de desabafos. “O legislativo tem que investigar isso”, comentava um internauta. “Mais uma fraude comprovada pelo Tribunal de Contas”, lamentava outro.

“E não para por aí, todos os indícios levam a crer que a J.B Alimentação que servia quentinhas ao Hospital de Búzios está envolvida nessas fraudes, só aguardamos o resultado!”, criticou uma usuária da rede social. Procurada, a Prefeitura de Búzios não se pronunciou até o fechamento desta edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − cinco =