Derrotado nas pesquisas e sem chances nas urnas

O Presidente Jair Bolsonaro está usando o nome das Forças Armadas como possível instrumento para não aceitar os resultados eleitorais com o uso das urnas eletrônicas, caso indiquem a vitória de outro candidato.

Quem aceitou os indicativos de pesquisas e os resultados que o mantiveram em seguidos mandatos e foi sagrado Presidente da República através da votação e apuração eletrônicas, conquista também de seus filhos como vereador no Rio e deputado pelo Estado do Rio e outro como deputado federal por São Paulo, tem experiência e deve ter respeito pelo processo inovador brasileiro, considerado mundialmente como exemplar.

A única fraude que quase ocorreu foi o “escândalo da Proconsult”, uma empresa que visava interferir no processo para impedir a eleição de Leonel Brizola ao Governo do Estado.

Validade do voto

Além das pesquisas indicarem repetidamente que Bolsonaro está situado em segundo lugar nas avaliações de diferentes institutos de pesquisa, duas delas indicam a possibilidade do seu principal opositor,- que igualmente tem elevada taxa de rejeição – conseguir ser eleito ainda na primeira votação.

As pesquisas não tem sido contestadas e o terceiro colocado nelas citado, Ciro Gomes, não se revoltam contra os indicadores e nem contra a seriedade das urnas eletrônicas.

As urnas eletrônicas também foram avaliados nas sondagens, indicando que mais de 60% acreditam na sua eficiência e apenas 18% tem suspeitas sobre a sua eficiência.

Fenômeno Bolsonaro

No pleito de 2018 o deputado-capitão obteve esplendorosa vitória nas urnas com o denominado “Fenômeno Bolsonaro” que elegeu grande número de deputados e até mesmo o desconhecido Juiz do Espírito Santo para o Governo do Estado do Rio, do qual foi afastado no início da pandemia.

Ninguém contestou a legitimidade da vitória de Bolsonaro, embora mais tarde tenham havido denúncias de influência sobre o eleitorado com o uso prévio das chamadas “fake news”.

Posição dos Poderes

O STF tem sido ameaçado por elementos expressivos do bolsonarismo e acaba envolvendo-se na

qualificação ou desqualificação de candidatos.

O STF passou a contar com dois Ministros afinados como Presidente e enfrenta uma campanha visando neutralizar a sua independência e a seriedade da sua atuação.

Os Presidentes do Senado e da Câmara Federal, Rodrigo Pacheco e Arthur Lira, embora eleitos com o apoio do Palácio do Planalto tem resistido às ameaças ao Poder Judiciário e as urnas eletrônicas.

Fim da Escravidão

Hoje é o marcante dia oficial da Abolição dos Escravos no Brasil, ato da Princesa Isabel que a 13 de maio de 1888, pressionada por movimentos libertários e inconformada porque o Brasil não havia seguido o exemplo de Portugal e nem dos demais países das Américas que já haviam adotado a medida humanitária.

O Estado do Ceará comemora o fim da abolição graças à Lei de 23 de março de 1884,conseguência da alforria concedida na cidade de Acarape, hoje, Redenção, quando todos os escravos foram libertados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.