DER esquece rodovias e culpa crise pelo abandono

Desta vez a desculpa para o abandono das RJs 104 e 106 é a economia em crise. Antes, o viaduto de Maria Paula, na RJ-104, estava no cronograma de obras do Departamento de Estradas e Rodagens (DER). O projeto incluía uma serie de obras de revitalização ao longo das duas rodovias. Mas o tempo passou e nada foi feito. Além disso, não há mais data para início de obras. Dentre os principais problemas estão buracos, mato na pista, falta de acostamento, acostamento com mato, queda de barreiras invadindo a pista, entre outros.
A nota do DER na íntegra diz: “Diante da grave crise financeira que afeta especialmente o Estado do Rio de Janeiro e da consequente limitação orçamentária, apenas intervenções emergenciais estão sendo realizadas. Situações críticas têm prioridade, como foi o caso da mureta da ponte sobre o Rio Alcântara. O Departamento de Estradas de Rodagem tem diversos projetos de recuperação de rodovias aguardando dotação orçamentária, incluindo a reforma do Viaduto de Maria Paula. Até o presente momento não há previsão para início das obras”.
Mas uma questão causa dúvida nos usuários das vias. Será que crateras, muretas tortas e quebradas e um viaduto destruído não são intervenções emergenciais? Esses problemas já perduram por anos e o DER parece ignorar. Eventualmente, funcionários são vistos tapando buracos. Mas o remendo é frágil e se desgasta com chuva e o trânsito pesado.
“Esse viaduto (de Maria Paula) está assim, abandonado faz tempo. Já cansei de ver acidente aí. Essa semana mesmo um carro bateu e capotou. Tinham que colocar mais um radar na descida do viaduto. Acho que é a única maneira de evitar acidente”, disse o vigilante Marcos Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *