Deputado Estadual Gustavo Schmidt (PSL) se envolve em confusão em Maricá

O deputado estadual Gustavo Schmidt (PSL) se envolveu em uma confusão na madrugada desse sábado (24). Ele foi acusado de agredir um policial com um soco além de ter insultado a equipe do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV), na RJ-106, na Serra do Mato Grosso, em Maricá. O registro ainda tem detalhes da ocorrência em que, segundo relato dos militares, o parlamentar estava em estado emocional visivelmente alterado. O caso foi parar na 82ª DP (Maricá) onde os militares registraram ocorrência.

De acordo com informações dos militares Gustavo Schmidt passava de carro na RJ-106 na altura do KM 44, divisa entre Saquarema e Maricá, quando os policiais do BPRV abordaram o carro do parlamentar. Ele teria se identificado como deputado e, em estado alterado e usando palavras afrontosas e desrespeitosas, disse que não estaria passível de uma busca pessoal pela equipe.

Os militares explicaram que a medida pode ser aplicada para qualquer pessoa mas liberou o deputado, que estava junto com sua família, pois nenhuma irregularidade foi encontrada. Passadas algumas horas, por volta das 1h30min da madrugada, Gustavo teria entrado no Posto de Policiamento Rodoviário, local da abordagem inicial, com comportamento descontrolado.

De acordo com o registro o deputado afirmou ter deixado sua família em casa e voltou por acreditar que a equipe policial lhe “devia um pedido de desculpas”. Além disso deu um soco no rosto de um militar.

O caso foi parar na 82ª DP (Maricá) e os policiais vão passar por exames de corpo de delito. A Polícia Civil ainda não se manifestou sobre o assunto.

De acordo com a assessoria de comunicação do político “o deputado Gustavo Schmidt em nenhum momento foi detido. Ao se encaminhar com seu filho e sua namorada para um sítio da família em Saquarema, o veículo em que estava foi parado e houve uma abordagem ríspida dos policiais. Liberado, Gustavo deixou seu filho e a namorada no sítio e retornou ao DPO, pois suspeitava que a blitz realizada seria ilegal, e solicitou ao policial a Ordem de Serviço da operação, que não foi apresentada. Na ocasião, Gustavo foi desacatado por um dos policiais. Em nenhum momento ele agrediu qualquer policial e nem foi encaminhado à delegacia. Ele afirma que irá solicitar formalmente a apuração do caso”.

OUTRAS AGRESSÕES

Essa não é a primeira vez que o deputado estadual Gustavo Schmidt (PSL)se envolve em brigas com os militares. Em 27 de março de 2020 ele foi detido por agredir um militar após participar de uma festa privada na casa de um produtor musical em Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói. Na ocasião a polícia foi chamada ao local para averiguar uma denúncia de som alto e ao ser confrontado também teria dado um soco no rosto de um policial. Ao entrar na viatura teve mais agressão e ao chegar na 76ª DP (Centro) a terceira agressão foi registrada, até mesmo através de vídeos divulgados na internet. Na época o deputado explicou o ocorrido através de uma nota oficial.

Em julho de 2019 ele também se envolveu em outra confusão e foi acusado pelo dono de uma casa de festas de usar “substância ilícita, a princípio cheirinho de loló” em uma garrafa de energético. Na época, em depoimento registrado na 81ª DP, em Itaipu, o produtor da casa de shows Arena Camboinhas afirmou ter reconhecido o deputado após ser avisado que um cliente estava usando uma substância ilícita. Schmidt teria ainda dado um empurrão no produtor, ignorado os seguranças, dizendo poder fechar o estabelecimento por ser deputado estadual. Na época o deputado afirmou que “o ocorrido não passou de um mal entendido”, e que ele “não foi o causador” da confusão. O deputado disse que ele “apenas se solidarizou por terceiros, dada a agressividade dos seguranças do estabelecimento”, que teriam “atentado contra sua integridade física”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 4 =