Decreto impõe restrições a ônibus e isola a Região Metropolitana

Pelos próximos 15 dias ônibus de linhas intermunicipais não poderão circular entre a Região Metropolitana do Estado e o interior. O decreto foi publicado nesta terça-feira (17) pelo Detro para tentar evitar a proliferação dos casos da Covid-19 no Estado. Atualmente grande parte dos casos de coronavírus confirmados está concentrada no Rio de Janeiro.

A medida afeta linhas regulares, ônibus fretados e veículos de turismo. Em relação ao transporte intermunicipal dentro da Região Metropolitana, os ônibus continuam circulando normalmente, apenas com algumas novas recomendações, como a redução de 50% da lotação (apenas passageiros sentados).

São considerados municípios da região metropolitana: Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Magé, Tanguá, Rio Bonito, Guapimirim, Cachoeira de Macacu, Paracambi, Japeri, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Belford Roxo, São João de Meriti, Mesquita, Nilópolis, Queimados, Seropédica, Itaguaí e Petrópolis. Além disso, está proibida a circulação de linhas que tem como origem estados com casos confirmados de coronavírus ou estão em situação de emergência decretada.

Nesta terça a rodoviária de Niterói já apresentava um fluxo bem menor que de o normal. Em nota, a concessionária que administra as rodoviárias Novo Rio, na capital, e Roberto Silveira em Niterói, esclareceu que “frente à nova determinação, as empresas rodoviárias interestaduais já estão cancelando todas as viagens para outros Estados e quem já comprou passagem pode procurar diretamente as viações para o cancelamento e reembolso.

Menos passageiros

Além do decreto do Detro o governador Wilson Witzel (PSC) publicou, nesta terça, um decreto com “medidas de enfrentamento da propagação decorrente do novo coronavírus (Covid-19)”. Dentre as ações a principal é reduzir o volume de pessoas dentro dos transportes público. Em ônibus, por exemplo, apenas passageiros sentados podem fazer as viagens.

Nesta terça, fiscais do Detro estiveram no Terminal Rodoviário João Goulart, no Centro, orientando os motoristas para acatar a nova medida de combate ao coronavírus.

“Eu não sabia, mas é uma ótima medida. Sei que as pessoas precisam se deslocar, aquelas que não podem ficar em casa, mas os transportes coletivos são ótimos locais de propagação do coronavírus”, relatou Ana Carona Silva, de 32 anos.

Outra medida além da redução dos passageiros o decreto determina – quando possível – destravar as janelas dos ônibus para que eles circulem abertos sem ar-condicionado. Também está proibido o uso de passe livre estudantil pelos próximos 15 dias.

Ruas vazias

Quem trafegou por Niterói durante a terça-feira, percebeu que o volume de pessoas na rua estava muito menor e isso se refletia também no número de carros nas ruas. Um trecho entre Icaraí e Niterói, que normalmente levaria 35 minutos, o mesmo percurso foi feito em 15, por conta do baixo número de veículos. O reflexo desse baixo volume eram vistos nas principais vias da cidade, que mesmo no horário de rush não apresentavam retenções.

“Eu passo pela Praia de Icaraí todos os dias de manhã, e desde segunda-feira as redes que as pessoas fazem esporte não foram montadas. Parece que depois do fim de semana as pessoas começaram a se conscientizar. Eu só estou saindo porque realmente preciso trabalhar, mas é de casa para o trabalho do trabalho para casa”, contou Roberto Britto, de 43 anos.

Na contramão, a população de São Gonçalo parece não ter ouvido os apelos dos setores de saúde. Nesta terça, agentes da prefeitura com apoio da Polícia Militar estiveram no centro comercial de Alcântara para conscientizar a população a não se aglomerar. A orientando é que os ambulantes a não atuem nas ruas da cidade.

“Nós precisamos evitar aglomerações e desobstruir as ruas, desimpedindo o espaço público para que as pessoas tenham livre tráfego”, explicou o subsecretário de Posturas, Everson Fernandes, que lembrou que as atividades acontecem em outras regiões com concentração de comerciantes, como no Centro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 2 =